Planeje ações contra problemas emocionais relacionados ao isolamento social

Gestores e RH devem se preparar para dar suporte emocional aos colaboradores, afinal, enfrentamos um momento sem precedentes de mudança e incerteza. À medida que mais casos de coronavírus são anunciados, espera-se que funcionários experimentem altos níveis de estresse e ansiedade em relação ao potencial impacto do vírus e do isolamento.

Os problemas emocionais podem ser tão preocupantes quanto a Covid-19. E pior: o medo de adoecer e os impactos social e econômico inerentes à quarentena podem prejudicar a saúde dos funcionários e sua produtividade.

A seguir, saiba como dar suporte emocional aos colaboradores na quarentena?

Ansiedade na quarentena é comum

O ser humano é um animal político que se acostumou a viver em sociedade. De repente, esses alicerces foram abaixo com o isolamento social. Por mais que a criatividade virtual tenha rolado solta, ainda há pessoas que sofrem com o distanciamento físico. A OMS, inclusive, alerta para essa consequência.

É bom destacar que a ansiedade, assim como a felicidade, se propaga facilmente, Se algum colega de trabalho relata medo futuro é muito fácil que os demais membros da equipe também comecem a perceber o mundo sob a mesma perspectiva.

Já o estresse crônico causado pela incerteza também é nocivo. Sem perspectivas, o profissional pode cair no limbo do vazio existencial – sensação dolorosa de que o sentido da vida desapareceu e só há sofrimento, em que há experiência de desconexão com o mundo exterior.

Como o RH pode dar suporte emocional aos colaboradores

Portanto, é importante entender como seus colaboradores estão reagindo a esse momento de isolamento social. Eles podem estar sofrendo de ansiedade, estresse, depressão ou qualquer outro distúrbio mental que certamente afetará o trabalho e a vida pessoal.

Para te ajudar nesse momento delicado, separamos, abaixo, algumas medidas que os empregadores podem adotar para ajudar a aliviar os sintomas emocionais alinhados às incertezas do Covid-19.

Compartilhe comunicados e dicas

A ansiedade geralmente deriva do desconhecido. “Minha tosse é um sintoma e devo fazer o teste?”, “Devo visitar meus parentes idosos?”, “Posso usar o metrô?”. Muitas perguntas e poucas respostas

Os funcionários ansiosos repetidamente se perguntam “e se”? A falta de precedentes no mundo moderno para lidar com uma pandemia global significa que muitas vezes não há respostas – apenas incertezas.

Compartilhar comunicados de como se proteger diante da pandemia e dicas para lidar com o isolamento ajudam o colaborador a racionalizar esse problema. Comunique também canais corporativos que os profissionais devem procurar caso eles não se sintam bem.

Procure ainda informar seus colaboradores sobre como a empresa está acompanhando e reagindo às medidas do governo de sua região. Isso significa manter a equipe informada sobre as etapas do isolamento social que a organização esteja tomando.

Atente-se à linguagem

Esteja ciente de que palavras podem afetar as percepções das pessoas sobre a situação.

Por exemplo, o uso de termos como “casos” e “vítimas” reforça as conotações negativas e pode deixar os funcionários ainda mais estressados. Atenha-se aos fatos e evite linguagem inflamatória. Em vez disso, use frases como “funcionários em tratamento para …”, que têm foco positivo na recuperação.

Promova ações on-line

O trabalho remoto bem-sucedido requer planejamento para evitar mais problemas. Mas as coisas aconteceram tão rápido que não houve planejamento. Não tem problema. Troque o pneu com o carro andando.

Quando o isolamento começou, muitas empresas não faziam a menor ideia de como integrar essa força de trabalho à distância. Foi aí que surgiram programais criativos como happy hours virtuais, ginásticas laborais ou lives com especialistas de diversos temas.

Tente manter virtualmente o ambiente corporativo agitado. Isso é importante para o bem-estar dos trabalhadores remotos que enfrentam riscos psicológicos ligados à solidão e ao isolamento

Flexibilize as políticas

Reconhecendo que alguns funcionários podem ter famílias e entes queridos que exigem atenção adicional, pergunte abertamente aos funcionários como eles estão gerenciando as atividades pessoais e do trabalho.

Flexibilize, se for o caso, o horário de trabalho de colaboradores que estão passando por essa turbulência.

Aqueles que moram sozinho também precisam ter uma atenção especial. Eles estão desconectados fisicamente do contato humano. Assim, para minimizar o distanciamento, incentive-os a se conectarem virtualmente com colegas, amigos e familiares.

Incentive a busca por ajuda

Muitos funcionários experimentam sintomas de melancolia e ansiedade quando o vírus atinge seu pico. Além de ser transparente sobre as políticas da empresa, é importante fornecer aos funcionários mecanismos de enfrentamento.

As pessoas devem ser orientadas quanto à importância do apoio emocional profissional, como por meio de psicólogos e médicos. Pode ser que a ansiedade em torno do coronavírus seja um sinal perceptível de lutas emocionais pré-existentes ou mais amplas.

Gostou do conteúdo? Para se aprofundar no assunto, leia ainda a reportagem sobre comunicação efetiva no home office .