Institucional Candidatos Empresas

Pesquisas mostram que trabalhar com senso de propósito aumenta a motivação e a produtividade. Veja como o RH pode ajudar a divulgar os valores sociais da organização

Embora a remuneração e os benefícios reflitam na decisão do funcionário de ingressar e permanecer em uma empresa, há muitos outros elementos que são mais importantes do que um bom pagamento. De acordo com o relatório da PwC intitulado “Millennials no trabalho” – remodelando o local de trabalho”, o propósito no ambiente de trabalho e seus valores sociais se tornam mais importantes para os representantes dessa geração ao escolherem uma organização quando suas necessidades básicas, como pagamento e condições de trabalhar adequadas, são atendidas.

O relatório afirma que “os millennials querem que seu trabalho tenha um propósito, contribua com algo para o mundo e desejam ter orgulho de seu empregador”. Sem uma finalidade, é difícil para os funcionários se conectarem com o trabalho e com a empresa. Trabalhar com senso de propósito aumenta a motivação, a produtividade, a moral e a satisfação geral.

De acordo com o levantamento da Mercer,  “Talent Trends 2018”, os funcionários mais habilidosos, os top talents, são três vezes mais propensos a atuar em uma empresa com forte senso de propósito. No entanto, apenas 13% das companhias pesquisadas oferecem uma proposta de valor para o funcionário (EVP) diferenciada por uma missão orientada por objetivos.

O estudo indica ainda que incorporar o propósito na proposta de valor para os colaboradores, desbloqueia o potencial individual e impulsiona as pessoas para serem agentes de mudança – uma habilidade requerida hoje pela maioria das organizações.

E como a área de gestão de pessoas pode ajudar a disseminar o propósito maior da organização? O RH deve, juntamente com a área de comunicação e Marketing da organização, elaborar uma política que ressalte os seguintes pontos:

  1.     Visão da empresa;
  2.     Reconhecimento dos colaboradores;
  3.     Permitir que os funcionários saibam como seu trabalho afeta a empresa e seus clientes;
  4.     Discutir com frequência o significado e o valor da empresa;
  5.     Compartilhar histórias de sucesso de clientes e de modelos intraempreendedores.

“Mas lembre-se: palavras jogadas em um papel ou em uma parede, sem ações verdadeiras, não incutem o valor do propósito na força de trabalho”, destaca o fundador da VAGAS, Mário Kaphan. Para ele, os valores precisam ser de fato vividos.  

Na VAGAS, que trabalha com o conceito de modelo de gestão horizontal, os valores sociais da organização são praticados no dia a dia dos negócios da empresa, seja na negociação com clientes ou na hora de abrir controvérsias para a criação de um consenso. Como diria Mário, trabalhar na VAGAS é ter uma relação de pertencimento com seus valores. E todos os colaboradores levam essa missão a sério, dentro e fora da organização.

Confira um pouco mais sobre propósito nos demais artigos da semana.

Deixe seu comentário

Sign in to post your comment or sign-up if you don't have any account.