Institucional Candidatos Empresas

confira um especial com 5 artigos que irão te deixar por dentro do assunto sobre diversidade de gênero e orientação sexual nas empresas

No dia 23 de junho, aconteceu a 23ª Parada do orgulho LGBT na cidade de São Paulo. Você já deve ter escutado por aí que é apenas uma bagunça sem propósito, pois muitas pessoas desinformadas falam sem ter propriedade sobre o assunto e ainda sem entender a importância da diversidade e inclusão de LGBTs.

Mas para quem participa e de fato se engaja com a causa, sabe que o principal motivador dessa parada é extremamente importante.

Trata-se de uma luta por igualdade, respeito e evolução dos seres humanos em geral contra a LGBTfobia e o preconceito.

Esses eventos buscam ações afirmativas para a comunidade e aproveitam também para comemorar sim, o orgulho de existir e a cultura de lésbicas, bissexuais e transgêneros (LGBT).

Aproveitando que cada vez mais empresas abraçam a diversidade e que a VAGAS também já olha muito criteriosamente para essas questões, pois trabalha diretamente com empresas e pessoas, resolvemos elaborar um especial durante a semana a fim de compartilharmos informações sobre o assunto.

Tudo isso com um único objetivo: mostrar a importância de saber entender os contextos e de fazer com a sua empresa seja inclusiva, trazendo uma experiência sem traumas e preconceitos para os profissionais que passarem por ela.

O cenário do mercado de trabalho

Segundo pesquisa do IBOPE realizada em maio de 2019 com mais de 2000 pessoas a partir de 16 anos de idade, 38% dos respondentes que afirmam ser homossexuais alegam que seus colegas são a favor de sua orientação sexual, 9% são contra e 33% não sabem da sua orientação.

Os que não contam que são homossexuais dentro dos ambientes corporativos, 29% tem medo que isso interfira em sua carreira, 19% temem a rejeição/aceitação e os outros 6% ficam receosos em perder o emprego.

Esses números já foram piores no passado, mas ainda há um logo caminho a ser percorrido a fim de reduzir vieses durante a contração e a discriminação no ambiente de trabalho.

Segundo Natanael Vieira, coordenador de Trade Marketing na Claro “nunca sofri nenhum preconceito dentro do mercado de trabalho, mas sei que outras pessoas já passaram por isso e que com certeza ficaram traumatizadas e sempre terão medo de viver autenticamente em seus próximos desafios profissionais”.

As empresas estão mudando

Hoje muitas organizações olham com mais cautela para questões de diversidade, mas há uma fatia que ainda precisa evoluir.

E enquanto isso não acontece, situações discriminatórias continuam fazendo parte da realidade de muitos, então o que é considerado apenas uma festa para alguns, trata-se de um pedido de socorro e um alerta para essas e outras situações mudem urgentemente.

Próximos passos

Dentro do cenário de diversidade e inclusão para LGBTs, as evoluções vem ocorrendo aos poucos. Há alguns dias atrás, o Supremo Tribunal Federal (STF) aprovou a criminalização da LGBTfobia, considerando crime qualquer discriminação por orientação sexual e identidade de gênero.

Há leis que contemplam outras questões sobre diversidade como a de preconceito por racismo, por exemplo. Mas não existe nada que proteja a comunidade LGBT. Hoje essas leis entrarão no quadro de racismo, podendo gerar de um a três anos de cadeia, e chegando  em até cinco anos, em casos mais graves.

Esse é um assunto que vamos aprofundar no nosso próximo artigo, que contaremos como foi a luta para que essa lei fosse aprovada.

Acompanhe a nossa semana especial sobre Diversidade e Inclusão de LGBTs, aqui no blog do VAGAS for business.  #vagasediversidade #diversidadenasempresas

Deixe seu comentário

Sign in to post your comment or sign-up if you don't have any account.