Institucional Candidatos Empresas

Por que a correspondência de valores da organização com o candidato, o chamado fit cultural, é relevante na hora de contratar novos profissionais?

O mundo do recrutamento está mudando radicalmente. As tendências como digitalização, análise preditiva e tecnologias de seleção não afetam apenas o ambiente de trabalho, mas alteram a forma como empresas e candidatos se relacionam. Em alguns processos, hoje, é mais relevante a harmonia de valores, crenças e personalidades entre contratante e contratado à correspondência entre experiências e competências. O chamado fit cultural está se tornando um dos critérios mais importantes no processo de inscrição e de seleção para um novo emprego.

Candidatos e organizações estão ávidos para trabalhar com quem caminham no mesmo direcionamento. Um estudo constatou que 84% dos recrutadores nos Estados Unidos concordam que o ajuste cultural é um dos fatores mais importantes de recrutamento, e nove em cada dez, relataram reprovar candidatos que não estavam alinhados com as culturas de suas empresas.

Esses profissionais esclarecem que quando alguém novo é incluído na equipe, deseja-se que ele seja um funcionário valioso e duradouro para a organização. Em outras palavras, é esperado que esse indivíduo honre as pessoas que atuam na empresa, entenda as prioridades dos clientes atendidos por ela e que pratique os valores e os interesses da corporação.

Mas como detectar esse match de princípios? E qual é a importância do fit cultural para uma contratação assertiva? Bem, ao analisar os indicadores de estudos conduzidos sobre o tema, é possível afirmar que essa correlação é boa para ambos os lados.

Valores praticados                       

De acordo com um levantamento da Deloitte conduzido mundialmente, 95% de todos os candidatos entrevistados afirmam que, durante a etapa de seleção de vagas, acham mais relevante procurar informações sobre a empresa e as pessoas que trabalham lá a observar as compensações financeiras. Esses candidatos buscavam entender o ambiente corporativo e como os colegas em potencial enxergavam as oportunidades geradas na empresa, bem como os valores organizacionais praticados no dia a dia.

Por sua vez, os recrutadores que defendem o match cultural entre companhias e candidatos destacam que essa combinação pode ser benéfica para algumas métricas organizacionais. A primeira delas é o desempenho: colaboradores mais satisfeitos com o ambiente de trabalho costumam performar melhor. Os níveis de engajamento também tendem a ser mais elevados, bem como os níveis de retenção. Esse cenário ajuda a diminuir um outro indicador importante às organizações: os custos de recrutamento.

Contratação por fit cultural

Uma pesquisa da consultoria CompanyMatch, conduzida com 550 funcionários de empresas europeias em diversos setores, indicou que mais de 60% dos colaboradores deixaram seu último emprego devido a conflitos culturais. A grosso modo, esses funcionários se sentiram como um parceiro traído. No começo do relacionamento, as regras foram estabelecidas, mas, ao longo da convivência, elas foram quebradas até que o encanto se desfizesse. Esses resultados indicam o papel crucial do fit cultural entre organização e candidato.

Não há pesquisas no Brasil que demonstram, no papel, os custos dessa incompatibilidade entre candidatos e organizações. No entanto, um estudo conduzido pela Harris Interactive sugere que o custo médio no mercado de trabalho alemão é de 45 mil Euros, com valores semelhantes estimados na Holanda e na Bélgica. Na conta, estão inclusos custos ocultos, como baixa produtividade e fraco engajamento, e despesas mais claras como contratação e desligamento.

No entanto, a contratação por fit cultural também enfrenta algumas barreiras. Vários especialistas indicam que a estratégia de recrutamento baseada nesse match de valores, muitas vezes, pode ter impacto negativo na diversidade dos funcionários . Nos próximos artigos, vamos abordar um pouco mais sobre o tema, bem como ajudá-lo a estruturar uma entrevista incluindo essa perspectiva.