Institucional Candidatos Empresas

Conheça a qualidade de contratação e alguns indicadores por trás desse parâmetro

Você postou uma série de vagas, mas teve pouca adesão aos anúncios? Esse é um sinal vermelho gritante de que algo em seu processo não está indo bem. Nesse momento, é preciso estar munido de algumas métricas de recrutamento para saber onde está o erro. Pode ser um problema na descrição das vagas, uma marca empregadora fraca ou ainda uma experiência do candidato longa, com perguntas confusas e sistema pouco amigável ao candidato. Tudo isso pode influenciar negativamente a melhor métrica de recrutamento do seu processo: a qualidade de contratação.

Use métricas de qualidade, velocidade e custo baixo

O recrutamento não é uma ciência exata, exige competências comportamentais que, por vezes, são difíceis de serem medidas. Todavia, existem três pilares principais que os profissionais de Talent Acquisition podem usar para avaliar o processo de recrutamento: qualidade da contratação, velocidade e custo. Embora, o peso de cada um deles seja diferente por empresa, a utilização de medidas qualitativas fornece informações abrangentes sobre qualquer processo de recrutamento, independentemente da complexidade, volume ou escala.

Neste artigo, vamos nos ater à primeira referência: qualidade da contratação. De forma geral, ela é medida pela rotatividade e pelo engajamento dos contratados em um período que varia de 3 meses a um ano. Essa é a forma rasa de observar o problema. Há outros elementos que podem indicar o sucesso do processo do ponto de vista da qualidade da contratação, tais como a experiência do candidato, a inclusão de todos os grupos sociais no processo, o tempo gasto em cada etapa e a comunicação entre profissional e organização.

Percepção do candidato

Se parte desses indicadores não estiver satisfatória, futuramente, o resultado negativo vai aparecer. Por exemplo, se você não considerar o tempo do candidato, um elemento importante no processo, esse fator será um obstáculo. Muitos candidatos capacitados podem nem sequer completar a primeira fase de um texto em 50 minutos – será que não era possível fazer uma avaliação mais sucinta?

Dito isto, antes de replicar um modelo cheio de falhas e obter os mesmos resultados, converse com novos contratados. Descubra qual parte foi a mais difícil e a mais fácil do processo. Será que todos os elementos e até a plataforma cumpriram bem sua função, ou houve exagero no recolhimento de dados? Às vezes, um pequeno detalhe faz toda a diferença. Digamos que a candidatura da vaga se dê por um site que não é responsivo. Só com essa condição, o recrutador, sem perceber, já perdeu candidatos que se acostumaram a fazer tudo na palma da mão; inclusive a inscrição para vagas de emprego.

Integre grupos marginalizados

Lembre-se que o processo de recrutamento também serve para integrar grupos tradicionalmente sub-representados nas organizações, por exemplo, mulheres, pessoas com deficiência, negros e homossexuais. Isso garante que as oportunidades sejam dadas equitativamente a todos no mercado de trabalho e reduz o viés no preenchimento de cargos. Recentemente, a VAGAS, preparou e passou a utilizar um banco de dados transparente para rastrear a origem étnica dos candidatos. Só terão acesso à plataforma, empresas selecionadas, que possuam programas para elevar a contratação de negros e se comprometam formalmente a usar os dados somente para ações afirmativas.

Vale ressaltar que esse não é um trabalho isolado da área de R&S. As lideranças das organizações devem cumprir metas específicas de diversidade para aumentar a pluralidade de seu pool de talentos. E não se trata apenas de uma questão social e, sim, de dinheiro em caixa no fim do mês. Um relatório da McKinsey & Company constatou que as 25% melhores empresas em diversidade racial e étnica têm retornos financeiros 35% acima da média do setor. O estudo também destacou que companhias que investem em lideranças femininas apresentam 15% mais chances de ter faturamento maior.

Experiência do candidato

Ao incorporar elementos como diversidade, praticidade e mobilidade no recrutamento, os candidatos já enxergam a experiência de outra forma. E a comunicação clara e transparente entre a organização e os profissionais fecha esse passo a passo para conquistar um “lead” qualificado de talentos. A medida também cumpre o objetivo de fornecer um banco de dados e uma fonte de candidatos para recrutamentos futuros.