Institucional Candidatos Empresas

Fuja da burocracia e dos processos manuais, melhorando seu processo de R&S com tecnologia

Redigir e publicar em jornais a descrição da vaga. Conferir manualmente todos os currículos que chegam à empresa. Separar, um por um, esses documentos de acordo com o fit de habilidades observadas na vaga anunciada. Essas são algumas das atribuições da área de Talent Acquisition que ficaram no passado com os benefícios das ferramentas de R&S digital. Com o advento dessa tecnologia, a área de R&S pode se dedicar a sua principal função: humanizar a experiência do candidato.

Da burocracia à tecnologia

Longe vão os dias de anúncios de vagas respondidos com currículos datilografados e enviados por fax. O recebimento de pilhas e mais pilhas de currículos e cartas de apresentação, que eram separadas pelos recrutadores com notas redigidas à mão, ficou definitivamente para trás.

De tão manual que o processo era, métricas, hoje, razoavelmente simples, como currículos recebidos, selecionados, recusados e entrevistados, eram difíceis de serem traçadas. Mas a tecnologia jogou uma luz e tanto nesse mundo confuso de informações.

Plataformas baseadas em tecnologia ATS (Applicant Tracking System), como o VAGAS for business, tiraram a área de Talent Acquisition do passado burocrático e ajudam, hoje, a tornar o processo de R&S mais humano, analítico e seguro, tanto para o candidato como para a organização contratante.

ATS na prática

Atualmente, o ATS é a ferramenta que atua como braço direito da área de R&S, pois automatiza parte da rotina manual, auxilia na comunicação com o candidato e também contribui com indicadores do processo de recrutamento e seleção.

Portanto o objetivo do ATS não é só tornar o papel do recrutador mais fácil, eficiente e eficaz. A tecnologia foi desenvolvida para que os recrutadores possam extrair relatórios precisos e permitir uma experiência mais humanizada e digital ao candidato.

Experiência do candidato

Antes da concepção desse tipo de plataforma, por exemplo, era difícil para o candidato saber até se o seu currículo havia chegado às mãos dos recrutadores. Agora, ele não só sabe que a área de R&S recebeu, como pode ter feedbacks de como está o processo seletivo e seu posicionamento nele.

Além das mensagens automáticas enviadas pela plataforma aos candidatos, também ficou mais fácil para se comunicar com os profissionais da área de Talent Acquisition, que, hoje, graças à automatização dos processos, dispõem de mais tempo para atender dúvidas pontuais dos candidatos.

De olho nos KPIs

Plataformas, como o VAGAS for business, também auxiliam os recrutadores a traçar indicadores de sucesso de suas performances. É possível monitorar, por exemplo, o tempo gasto no processo de R&S até a contratação do candidato, as taxas de conversão dos profissionais em cada parte do processo – para saber se há atração de pessoas qualificadas para a base –, e a taxa de conversão de ofertas aceitas ao fim do processo.

A tecnologia também traz indicadores relevantes da experiência do candidato, como o tempo em que ele demorou ao preencher sua candidatura, se fez esse processo por desktop ou celular, e ainda rastrear de onde veio o candidato: anúncio da própria plataforma, publicidade em rede social ou ainda publicação feita por um funcionário da empresa sobre a vaga.

Outro ponto importante a ressaltar é que esse tipo de tecnologia também é um alívio para o caixa da empresa, a ponto de otimizar o processo, já que aponta métricas relevantes ao contexto e indica onde o RH deve ou não investir mais dinheiro.