Institucional Candidatos Empresas

Saiba por que você deve usar a avaliação comportamental no seu processo de R&S

Durante o processo de contratação, a área de Talent Acquisition enfrenta sempre o dilema de saber pouco sobre a personalidade dos candidatos. É possível por meio das entrevistas ter indícios sobre as características sociais do candidato. Todavia, para ter um relatório mais preciso, o ideal é investir em ferramentas de avaliação comportamental que monitoram e fornecem indicadores sobre aspectos sociais dos profissionais.

Abrir mão desse tipo de ferramenta é mais ou menos como um banco desistir de analisar as atividades pregressas de seus correntistas ao fazer a análise de crédito. Ou seja, é um tiro no escuro. Assim como observar se uma pessoa é uma boa pagadora, antes de fazer um empréstimo, é preponderante para a empresa contratante saber como o profissional se porta diante dos desafios do trabalho.

Cultura da empresa

Certa vez, um gerente responsável por uma vaga insistiu em contratar um profissional que tinha as devidas habilidades técnicas da vaga, mas seus valores não condiziam com os da organização. Dois meses depois esse profissional saiu da empresa.

Ambos perderam nesse processo desgastante. O profissional ficou dois meses num trabalho que ele sabia executar, porém não se sentia feliz. E a empresa perdeu tempo e dinheiro nesse ínterim e teve de abrir novo processo seletivo para o preenchimento da mesma vaga.

Portanto, nenhuma organização quer simplesmente contratar alguém que possa apenas executar adequadamente as tarefas, mas não se encaixe na cultura da sua empresa, tampouco têm os mesmos valores da organização. O ideal é que haja uma harmonia em todos esses elementos.

Felizmente, ao utilizar uma Avaliação Comportamental em seu processo de contratação, é possível prever as soft skills dos candidatos, observando o comportamento deles em uma determinada função ou situação de trabalho. Listamos, abaixo, algumas razões para considerar o uso de uma avaliação comportamental em seu processo de contratação:

Economizar tempo e dinheiro

Um candidato pode ter feito uma ótima entrevista, tanto face to face como na prova objetiva realizada na primeira fase do processo. Contudo, é capaz que ele tenha características comportamentais que sejam prejudiciais ao desempenho no trabalho.

Para evitar esse estresse, use ferramentas de análise comportamental, ao observar os dados sociais do candidato, a área de R&S poderá tomar decisões mais precisas antes mesmo de levá-los para entrevistas, economizando tempo e dinheiro.

Diminuição da rotatividade

Ao usar uma avaliação comportamental, é possível alinhar objetivamente as principais soft skills para obter sucesso em uma determinada função. Para tanto, antes de começar o processo seletivo, compare o comportamento dos melhores funcionários e trace uma análise de tendências comportamentais para a vaga.

Saber quais soft skills são necessárias para ter sucesso dentro de uma determinada função, observando a cultura da empresa, é crucial para garantir não apenas o sucesso na contratação, mas para assegurar que o candidato também fique feliz ao atuar na empresa.

Funcionários felizes ficam tendem a ficar mais tempo na organização, o que garante a baixa rotatividade de sua empresa – um dos principais KPIs da área de R&S.

Eficiência automatizada

É bom lembrar que o recrutamento pode ser um processo demorado. Em média, leva-se mais de quatro semanas para preencher uma posição aberta. Ao utilizar ferramentas de avaliação comportamental em seu processo de contratação, é possível aliviar a carga de trabalho da equipe de Talent Acquisition, e preencher com mais rapidez e precisão as vagas.

Em vez de carregar relatórios e resumos, tudo é automatizado e instantaneamente acessível online. Com este tipo de tecnologia, é possível acessar facilmente seu próprio painel e sobrepor os resultados dos candidatos a outros membros da equipe, a fim de garantir um bom ajuste e determinar possíveis contratações ruins imediatamente.