Institucional Candidatos Empresas

A falta de feedback durante o processo seletivo pode afugentar os talentos da empresa

Imagine a seguinte situação: um candidato se inscreve para uma vaga em uma multinacional. No processo, recebe um e-mail dizendo que está inscrito, outro comunicando que passou para a segunda fase, uma entrevista por telefone, e um terceiro indicando a entrevista pessoal. Uma semana após o bate-papo, nenhuma novidade. Duas e três semanas depois e nada de contato da multinacional. Certamente, a falta de comunicação e feedback influencia na experiência do candidato negativamente.

O profissional que passou por essa experiência certamente perde a vontade de colaborar com a organização, mesmo que ela volte a entrar em contato.

Por outro lado, um profissional da área de vendas narrou ao Blog VAGAS For Business uma experiência totalmente distinta. Ao ler o anúncio de oportunidade em uma startup, se identificou com o perfil solicitado logo de cara. Então, se inscreveu e foi guiado pelo RH em todas as fases do processo. “Naturalmente, ficamos ansiosos para saber o resultado, principalmente quando queremos muito trabalhar em uma empresa”, explicou.

Foram três meses entre a primeira entrevista e a contratação, nos quais o profissional recebeu sempre explicações sobre os motivos da demora. “Contudo, confesso que na última fase pensei até que eles tinham desistido da vaga”, afirmou.

Hoje, o executivo de vendas recém-contratado está feliz da vida. Apesar do longo processo – natural ainda mais para cargos estratégicos –, a empatia do recrutador em entender a ansiedade do candidato e sempre prover feedback sobre o que estava acontecendo ao longo das etapas fez a diferença nessa história.

Feedback impacta na experiência do candidato

Independentemente do estágio do processo de contratação, assim que recrutadores recebem a inscrição de um candidato, o ideal é já lançar um comunicado informando os próximos passos do processo, embora poucos façam isso.

Um estudo da CareerArc indicou que boa parte dos candidatos, 65%, não recebe qualquer comunicado da empresa contratante após a aplicação à vaga. Outro escorregão das organizações está na demora até o diálogo com os candidato: 51% deles afirmam ter um segundo comunicado sobre o processo mais de um mês depois da primeira aplicação, o que é quase um adeus à vaga.

Tempo hábil

Para evitar que o feedback influencie a experiência do candidato de forma negativa, é preciso gerenciar as expectativas, informando uma estimativa de tempo para avisar sobre a inscrição ou a entrevista. Ser aberto e honesto com os comentários e consistente com a comunicação é a chave para melhorar a experiência de candidato.

Outra dica para aprimorar o processo de R&S é pedir feedback para os candidatos. De acordo com o estudo da CareerArc, 78% dos aspirantes a vagas de emprego relatam nunca terem sido solicitados a dar retorno sobre a experiência de candidato.

Identifique pontos fracos em seu processo, observados a visão dos candidatos, e implemente um processo de melhoria contínua. Aperfeiçoar a experiência de candidato deve ser prioridade, quase uma meta organizacional, pois faz diferença entre você e seus concorrentes na guerra por talentos.

Agora que você sabe a importância do retorno ao candidato, aprenda como dar feedback de entrevista.