Veja quais competências devem ser observadas na hora de contratar líderes

Nos últimos tempos, contratar líderes está se tornando cada vez mais difícil. Há o contexto cultural da organização e o local, nacional e global, que devem ser observados pelo recrutador ao analisar o perfil de executivos que comandarão o crescimento da empresa. O problema é que a mudança desse cenário é cada vez mais acelerada e poucos estão preparados para isso.

Como contratar líderes?

Encontramos numerosos termos na imprensa popular de negócios e na literatura acadêmica que se referem à crescente incapacidade de compreender o mundo e lidar com os fatos que acontecem à nossa volta. Exemplos incluem incertezas, turbulências, mudanças rápidas, dinamismo, interrupções, complexidade, hipercompetição, mercados e fluxos de alta velocidade.

Enfrentar os desafios do ambiente de negócios do chamado Mundo VUCA (sigla, em inglês, que significa volatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade) exige que os líderes sejam capazes de se adaptar rapidamente a contextos distintos.

Separamos algumas das principais competências, em especial soft skills, que um profissional deve possuir para inspirar sua equipe rumo ao sucesso, além de maneiras para avaliá-las no processo de contratação de líderes:

Boa visão de negócios

Olhar para os negócios sempre com os mesmos óculos não é muito estratégico. Os consumidores mudam de comportamento de forma cada vez mais constante e líderes precisam estar atentos. Desta forma, os candidatos do processo de contratação de líderes devem ser capazes de planejar o crescimento da empresa de forma eficaz em um contexto atual e futuro.

Para testar se o seu candidato está atento a isso, indague-o sobre o direcionamento de negócios. Pergunte a ele: “qual seria o plano dado para um cenário futuro de negócios mediante ao atual contexto organizacional da empresa?”. Ele precisa fornecer estratégias, mesmo que rudimentares, de expansão.

Comunicação ativa

Um líder precisa ser capaz de explicar de forma clara e sucinta a seus funcionários tanto os objetivos organizacionais quanto as tarefas específicas do dia a dia. Ele deve dominar diversas formas de comunicação, como conversas individuais, diálogos com outros gestores e com clientes, nos mais variados canais, de telefonemas às redes sociais.

Um líder nato precisa ainda ter escuta ativa, ouvindo todas as queixas, reclamações e observando os erros seus e da equipe, de modo a traduzi-los em melhorias de processo.

Em suma, essas pessoas devem estabelecer um fluxo constante de comunicação com os membros da equipe por meio de uma política de portas abertas ou conversas regulares com os trabalhadores.

Essa é uma competência que o recrutador que irá contratar líderes provavelmente conseguirá avaliar no decorrer da entrevista, de acordo com a desenvoltura do candidato.

Influência

Possivelmente, a aplicação mais importante da habilidade de comunicação de um líder esteja em influenciar outras pessoas a executar determinadas tarefas.

John F. Kennedy provavelmente nunca pisou em uma zona de guerra, mas liderou milhares de americanos durante a Guerra do Vietnã por meio de palavras de incentivo. O mesmo se refere ao icônico mito da Apple, Steve Jobs, que também não era reconhecido como um gênio da tecnologia e, no entanto, conseguiu angariar seguidores que acreditavam no discurso dele.

Lembre-se: ter influência é mais do que falar bem; trata-se de projetar confiança e reivindicar autoridade. Essa é uma competência difícil de ser observada. A forma como o candidato se porta nas redes sociais e a reação de seus seguidores pode ser um bom indicativo dessa habilidade.

Tomada de decisão

Todos nós tomamos milhares de decisões por dia, da roupa que vamos vestir até que tipo de viagem e quanto gastaremos nas próximas férias. No entanto, bons líderes decidem para além de seus gostos pessoais e suas escolhas envolvem informações e histórias de várias outras pessoas. Variam de grandes escolhas, como a contratação de um novo membro da equipe, a pequenas seleções, como o horário da reunião.

Nem todo mundo é um tomador de decisão nato, mas quem vai contratar líderes deve priorizar os rapidamente decisivos – mesmo que suas opções não sejam necessariamente corretas.

No processo de recrutamento e seleção, peça que os candidatos relatem um momento de tomada de decisão rápida e analise quais soluções foram propostas.

Visão analítica

Um profissional pode ser ótimo na gestão de pessoas, mas se ele não souber ler os resultados de seu trabalho no crescimento do negócio, a habilidade acaba ficando inapta. Excelentes líderes reconhecem a importância de dedicar tempo e recursos à análise de indicadores, independentemente se esses dados mostrarão acertos ou erros de sua liderança.

Para descobrir se o profissional que está selecionando para o cargo de liderança tem essa competência, peça a ele que liste e explique as ferramentas que prefere usar no dia a dia para medir seus resultados.

Foco em resultados

Outro requisito para contratar líderes é que a visão analítica deve ser acompanhada do foco por resultado. Quem está na liderança deve observar os indicadores e delinear o caminho certo a seguir com base nos resultados.

Além disso, quem está na frente da equipe deve engajá-la de maneira quantitativa e qualitativa, concentrando-se nos resultados e usando habilidades interpessoais para isso.

Na entrevista para contratar líderes, solicite que o candidato fale sobre os resultados que obteve no último posto de liderança que atuou.

Adaptação

Seguir sempre o mesmo caminho para alcançar o sucesso não tem se mostrado uma receita rentável nos negócios. As transformações constantes da sociedade revelam que adaptar-se aos novos cenários e tomar rumos distintos vêm sendo a tônica do sucesso. Por isso, um líder precisa entender essas mudanças e treinar sua equipe para observar e reagir rapidamente a contextos distintos.

A adaptação geralmente é um processo doloroso: aqueles que não querem mudar geralmente não conseguem levar suas organizações ao sucesso. Por isso, ao analisar o candidato, veja como ele atuaria em um cenário de alteração drástica do negócio. Ele se moldaria ao meio ou tentaria voltar a bater na mesma tecla?

Quer saber mais sobre como contratar líderes? Então, entenda por que o líder do futuro precisa ser romântico.