Maior engajamento, menor rotatividade, reforço na marca empregadora... Conheça todas as vantagens trazidas pelos planos de cargos e salários

Como andam as promoções e as bonificações na sua empresa? Já tem em mente quem será premiado? Sabe se os colaboradores estão atuando com empenho e produtividade ou se a desmotivação é geral? Esperamos que você saiba responder a cada uma dessas questões, mas se os pontos de interrogação continuaram pairando no ar, é hora de pensar sobre planos de cargos e salários.

E para se aprofundar um pouco mais no assunto, pode continuar por aqui. Nossa ideia é trazer estratégias para você melhorar a relação da sua empresa com os profissionais, traçando planos mais prósperos para os negócios. Boa leitura!

O que é plano de cargos e salários?

Que tal começarmos do começo? Planos de cargos e salários são um conjunto de políticas que envolvem os postos de trabalho e as remunerações dentro da empresa. Trata-se de uma proposta, baseada em uma avaliação longa e séria, que detalha as atividades, as responsabilidades, as competências, o ranqueamento de cargos, as progressões de cada função e as perspectivas salariais dos funcionários.

Além de ser um importante instrumento de gestão, ela traz transparência e isonomia aos colaboradores. As companhias que contam com planos de cargos e salários também acabam ganhando com maior motivação, engajamento e permanência dos funcionários. É ou não é uma boa aposta?

Qual é a diferença entre plano de carreira e plano de cargos e salários?

A priori, pode parecer o mesmo. Mas enquanto o plano de carreira é voltado ao colaborador individualmente, delineando o caminho que ele pode seguir para ascender dentro da empresa de acordo com suas competências, o plano de cargos e salários envolve a empresa como um todo.

Nesse caso, há uma estratégia da companhia relacionada às funções em geral, com uma definição para cada posto, uma política de faixas salariais e a determinação de habilidades necessárias para ocupação das vagas.

É um plano para organizar e impulsionar os negócios, no fim das contas.

Qual é sua importância?

As vantagens trazidas pelos planos de cargos e salários são várias, a começar pela organização. A medida ajudará em uma definição mais certeira do organograma e das faixas salariais, e contribuirá, consequentemente, para o planejamento financeiro.

Com o plano de cargos e salários, ficará bem mais simples determinar se é preciso enxugar o número de vagas e a folha de pagamento ou, pelo contrário, se a necessidade é contratar mais e premiar quem está fazendo um bom trabalho.Vale a pena ainda ficar de olho nas remunerações pagas no mercado para avaliar em que pé está sua política salarial e nos modelos de promoção praticados pela concorrência.

A transparência proporcionada por essa estruturação terá um superimpacto em seus colaboradores. E motivos não faltam… Conhecendo como funciona a política de cargos e salários da empresa, a tendência é que haja aumento da satisfação profissional, maior produtividade, melhora no trabalho em equipe, mais engajamento e fortalecimento do senso de pertencimento.

Nada mal, né? E, assim, sua marca empregadora ganha impulso e a retenção de talentos cresce.

Como elaborar

Convencido de que vale a pena investir em um plano de cargos e salários? Então prepare-se para seguir alguns passos, que incluem análise do cenário atual, construção de organograma, pesquisa salarial, estruturação da nova política e divulgação. Confira em detalhes.

Análise do cenário atual

A princípio, é preciso verificar o quadro de funcionários da empresa e seu funcionamento. Confira número de profissionais, cargos operacionais e de direção, faixa salarial de cada um dos postos e se há equipes grandes demais ou que precisam de suporte. Entenda o que acontece para seguir ao passo seguinte.

Construção de organograma

Conhecendo a fundo os profissionais da companhia, é possível montar um organograma ideal, determinando quem deve continuar, quem deve sair, e se há funções que precisam ser criadas para melhorar a fluidez dos negócios.

Pesquisa salarial

Chegou a hora de conferir as médias salariais do mercado. Sua empresa paga de acordo com o esperado ou peca pela falta? Veja se há algo a ser melhorado nesse quesito.

Estruturação da nova política

Com base em todos os estudos realizados, organize o plano de cargos e salários. Preveja as ascensões que podem ser realizadas dentro de cada área e o teto salarial disponível no momento. Pense ainda no tempo médio entre uma promoção e outra. Detalhe o máximo possível a nova estrutura a fim de evitar “pontas soltas”.

Divulgação

Após aprovação da direção, apresente o plano ao departamento de RH e esclareça todas as dúvidas que surgirem. Afinal de contas, essa será a área procurada pelos demais profissionais da empresa, quando eles precisarem de esclarecimentos sobre promoções e reajustes de salário.

Uma boa sugestão é reunir-se com os líderes das equipes para comunicar a novidade. E aí, em comum acordo, tomar a decisão de uma reunião geral para apresentar o plano de cargos e salários para toda a empresa ou deixar o aviso nas mãos dos gestores.

Exemplos

Importante ressaltar que existem diferentes tipos de promoção e que o melhor é escolher a mais pertinente de acordo com o profissional e momento da companhia.

Como bem detalha o artigo “Employee Promotion: the Types, Benefits, & Whom to Promote”  “Promoção de Empregados: os Tipos, Benefícios e Quem Promover”, em tradução livre, há quatro escolhas:

Promoção horizontal

Aqui, você incrementa o salário, mas não há um aumento drástico de responsabilidades. Há uma elevação sutil de cargo, caso de analista júnior para analista pleno, por exemplo.

Promoção vertical

Nesse caso, há um salto na carreira, que envolve mudança salarial considerável, muito mais responsabilidade, novo status, combo de benefícios etc. É quando o funcionário é alçado a um posto de liderança, por exemplo.

Promoção seca

Não é a preferida dos profissionais, porque implica aumento de responsabilidades e novo cargo, mas não traz consigo benefícios. Ou seja, não existe aumento salarial ou vantagens financeiras.

Promoção aberta e fechada

Enquanto a primeira pode contemplar qualquer profissional da empresa, a promoção fechada é direcionada a um grupo seleto de funcionários.

Erros a serem evitados

Está pronto para implementar um plano de cargos e salários? Então, arregace as mangas e abra bem os olhos para não cair em armadilhas, como essas:

Salários incompatíveis

Faça uma pesquisa de mercado e tenha em mente uma remuneração justa para cada função exercida. Se o salário estiver muito abaixo da concorrência, os talentos não vão demorar muito para correr da sua empresa.

Cargos em demasia

Ao estruturar um novo organograma, cuidado para não inserir cargos sem necessidade. Conheça suas reais demandas e não dê um passo maior que a perna.

Custos novos desconsiderados

Nunca esqueça de incluir os gastos com novas contratações quando for implementar seu plano de cargos e salários. Analise com parcimônia os custos com processo seletivo, além de impostos e documentação para não ter surpresas desagradáveis.

Plano de carreira desprezado

Sabemos que o plano de cargos e salários engloba a companhia inteira. No entanto, até mesmo os planejamentos mais perfeitos incluem ajustes de tempos em tempos.

Não podemos esquecer de reconhecer talentos individualmente, ainda que, em um primeiro momento, eles não se encaixem no organograma. Avalie um aumento ou uma promoção. Não deixe um profissional importante escapar em razão de uma estrutura engessada demais.

Visão de curto prazo

Planos de cargos e salários levam tempo para serem organizados e implantados. Tenha foco e persistência e monte uma estrutura a longo prazo. O esforço valerá a pena.

Ignorar a diversidade

Procure ter equipes mais plurais e inclua essa intenção em seu plano de cargos e salários. Essa medida só trará vantagens para a sua companhia.

Basta observar o exemplo da Nestlé Portugal. Em 2020, a empresa atingiu a paridade de gênero, com 50% de funcionários do sexo masculino e 50% do feminino.

Outro dado relevante é que 51% dos cargos de liderança da Nestlé Portugal pertencem a mulheres. Estatísticas que conduziram a organização ao pódio no estudo anual RepScore Pulse, como melhor “Ambiente de Trabalho” no país, vencendo nos atributos “recompensa os colaboradores de forma adequada” e “emprego a longo prazo”.

Quer implantar um plano de cargos e salários na sua empresa? Então, faça uma pesquisa de clima organizacional e veja o que pode ser melhorado ? Vale a pena também conferir este artigo e saber por que o recrutamento interno ganhou força na pandemia.