A menopausa no trabalho ainda é um tabu social, embora as empresas devam abordam o tema

Uma executiva expõe dados sobre as vendas do último semestre. De repente, entre uma explicação e outra aos líderes da organização, ela sente uma forte onda de calor. Começa, então, a se abanar e a suar. Essa situação pode parecer incomum, mas a menopausa nas empresas é uma realidade que merece atenção.

Os efeitos do fim da época reprodutiva sobre a vida profissional são pouco discutidos. Esse tabu não é saudável para a mulher e deixar de discuti-lo prejudica também as empresas. Como gestores de pessoas, o RH precisa ficar atento a tal demanda.

A seguir, leia mais sobre como as organizações podem ajudar mulheres na menopausa.

Efeitos da menopausa

Mulheres no estágio da menopausa costumam apresentar sintomas específicos, como ondas de calor, diminuição da libido e alterações no sono. Há também o impacto psicológico: internamente, é como se o relógio biológico estivesse dizendo que ela não está mais apta para algumas atividades rotineiras.

De acordo com o Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido (NHS, na sigla em inglês), menopausa é uma fase delicada e que compreende alterações nítidas no comportamento das mulheres, inclusive depressão e flutuação de humor.

Ter de lidar com esse furacão de emoções e com brincadeiras desagradáveis de colegas de trabalho é, simplesmente, demais para algumas mulheres. A menopausa é um assunto que as atormenta, assim como a impotência sexual importuna os homens. E, por isso, o tema deve ser muito bem elaborado no ambiente de trabalho.

Consequências da menopausa nas empresas

É escassa a literatura sobre o tema no mundo corporativo. Uma rápida pesquisa no Google com as palavras-chave “menopausa” e “ambiente de trabalho” não traz nenhum estudo sobre o tema.

A falta de relatórios que examinam os custos associados à menopausa no local de trabalho é mais um sinal da supressão da abordagem sobre o assunto. E esse silêncio sufoca as possibilidades de implementar práticas para ajudar as mulheres, como mudanças flexíveis no ambiente ou no horário de trabalho, além de prejudicar a organização, que perde com essa alienação coletiva.

Uma pesquisa do Chartered Institute of Personnel Development (CIPD), no Reino Unido, descobriu que 59% das mulheres com sintomas de menopausa disseram ter impacto negativo em seu trabalho, e cerca de metade achou difícil lidar com suas tarefas.

A descoberta, publicada na Harvard Business Review, joga luz em outro levantamento sobre o tema, realizado com quase 900 mulheres no mercado de trabalho. A pesquisa constatou que a diminuição da confiança, a baixa concentração e a falta de memória associada aos sintomas da menopausa causaram dificuldades particularmente significativas na vida profissional.

Como lidar com o assunto no mundo corporativo

A falta de abertura – e ainda pior, o escárnio ou bullying – podem levar à insatisfação, estresse desnecessário, ansiedade e até depressão. Os custos também são altos para os colegas e a organização, à medida que a produtividade diminui e, em alguns casos, as funcionárias decidem deixar a ocupação completamente.

Faz sentido que um empregador responsável esteja interessado em apoiar as mulheres com menopausa nas empresas. No Brasil, ainda não há dados sobre o tema, mas no Reino Unido, que está liderando um movimento para a conscientização sobre a menopausa no mercado de trabalho, há uma crescente demanda por ações trabalhistas de funcionárias devido à discriminação no ambiente de trabalho graças a essa condição.

Alguns exemplos de melhores práticas para os empregadores incluem:

Estabeleça uma política de menopausa nas empresas

Isso informará claramente a todos da organização sobre a postura da organização com relação ao tema e como a empresa apoia mulheres nesse estágio.

Sem essas políticas, o RH da empresa precisará recorrer às pré-existentes de afastamento por doença, o que não seria uma boa ideia, pois a colaboradora pode se sentir psicologicamente diminuída e ter sua produtividade afetada.

Forneça treinamento

É importante aumentar a conscientização sobre menopausa nas empresas e fornecer treinamento para ajudar gerentes e colegas de linha a entenderem como apoiar uma mulher na menopausa e se sentirem confiantes para falar sobre o assunto.

Como as colaboradoras não experimentam, exatamente, o mesmo nível ou combinação de sintomas, é importante que os empregadores forneçam suporte caso a caso.

Crie um ambiente transparente

Pode ser difícil para as mulheres abordarem líderes sobre a menopausa nas empresas, portanto ajudar a criar uma força de trabalho inclusiva e solidária e falar abertamente sobre o assunto são grandes passos na direção certa.

Estude ainda fazer ajustes razoáveis no ambiente de trabalho, como a aquisição de um ventilador de mesa, ou criar políticas de trabalho mais flexíveis, caso do home office e de horários de trabalho diferenciados para mulheres nessa fase da vida.

Gostou do conteúdo? Veja também como abordar a inclusão de transexuais no mercado de trabalho, um tema tão delicado nas organizações como o que lemos neste artigo.