Como as competências técnicas e comportamentais se complementam no perfil de um profissional

O mercado de trabalho está cada vez mais competitivo e a busca por talentos, mais acirrada. Em meio a este cenário, a demanda pela combinação perfeita entre soft e hard skills está sempre nos patamares mais altos. Cabe, então, a área de RH saber avaliar e desenvolver esse mix de competências em seus colaboradores.

Acompanhe, neste artigo, dicas para contratar profissionais adequados e ajudar as equipes a se tornarem mais completas.

Enquanto as hard skills são as habilidades técnicas e facilmente mensuráveis, as soft skills são competências exigidas nos relacionamentos interpessoais, caso da comunicação e da criatividade.

Normalmente, os funcionários dos departamentos financeiro e jurídico dirão que as hard skills são prioritárias. No entanto, a área de marketing ressaltará a importância das soft para o sucesso de suas estratégias.

O fato é que essas habilidades são relevantes para todos os profissionais e os novos tempos exigem colaboradores híbridos, com conhecimento técnico e capacidade de liderança e sensibilidade, por exemplo.

O que são hard skills?

Habilidades técnicas desenvolvidas por meio de treinamento, são normalmente transmitidas em faculdades e cursos presenciais ou online.

Em geral, as hard skills são compartilhadas e atualizadas com mais simplicidade. Afinal, a priori é menos complicado ensinar um novo programa de computador do que a desenvolver a arte da paciência, não é mesmo?

Exemplos

Proficiência em línguas estrangeiras, rapidez de digitação e domínio de programas de computador são exemplos de hard skills.

E o que são soft skills?

Conhecidas como habilidades interpessoais, são difíceis de quantificar e estão relacionadas à maneira como você lida e interage com pessoas.

Uma pesquisa recente revelou que 57% dos líderes acreditam que soft skills, como gerenciamento de tempo, liderança e colaboração, são mais importantes que as hard skills. Ademais, 92% dos profissionais de RH e executivos sêniores afirmaram que o design organizacional é importante e que o foco, portanto, está no empoderamento das soft skills

Exemplos

Comunicação, flexibilidade, liderança, trabalho em equipe, gerenciamento do tempo, persuasão, resiliência e ética são soft skills cada vez mais demandadas pelas empresas. Veja aqui outras soft skills do futuro.

Qual o impacto delas na empresa?

Colaboradores bem treinados e equilibrados emocionalmente são essenciais para o bom andamento dos negócios. Caberá, no entanto, sempre ao departamento de RH o acompanhamento dos profissionais para despertar ou atualizar competências necessárias para melhor fluidez em suas tarefas e projetos.

Enquanto alguns funcionários precisarão de novos cursos de software, outros demandarão um workshop de comunicação não violenta ou liderança.

De acordo com estudos recentes realizados nos Estados Unidos, mais de 30% dos profissionais deixaria seus empregos devido ao desequilíbrio entre vida no trabalho e vida pessoal e a poucas oportunidades de avanço.

Como maneira de prevenir esse impacto negativo, além de oferecer benefícios, como horários flexíveis e home office, vale apostar em reconhecimento e mentoria para ajudar os empregados a avançarem em suas carreiras.

Como o RH ajuda a desenvolvê-las

Acompanhe, a seguir, dicas para identificar e proporcionar as melhores atualizações para suas equipes com relação a soft e hard skills:

Avaliação

Observe e perceba quais treinamentos são necessários para suas equipes. Faça entrevistas, encaminhe questionários e fique de olho no que os concorrentes estão fazendo em termos de desenvolvimento de habilidades.

Destaques individuais

Você, como gestor de RH, será capaz de enxergar potencial em um empregado. Alguns colaboradores se destacarão pela liderança ou gerenciamento de tempo. Facilite sua chegada à liderança, proporcionando cursos de soft ou hard skills.

Ensino com sensibilidade

Empregados precisam saber que são mais do que números e que a companhia investe neles.

Faça parcerias com profissionais que possam oferecer treinamentos efetivos com mentores bem treinados. Isso ajudará os empregados a aplicarem as habilidades aprendidas em situações reais e a manter a produtividade da companhia em alta.

Contratação assertiva

Admita candidatos que, desde o início, queiram aprender, e tenham potencial não apenas para ir além no conhecimento, mas que, com um processo de mentoria, possam se tornar um grande ativo para a companhia.

Treinamento prático

Ensine de um modo que os empregados entenderão. Como os indivíduos aprendem de formas diferentes, os programas de treinamento devem ser relevantes e atrair a atenção.

Contrate uma empresa de treinamento que saiba se comunicar adequadamente com várias culturas, gerações e gêneros, passando por vários campos de atuação.

Escuta ativa

Tenha interesse em entender o que seus profissionais sentem. Reconhecer pistas não-verbais, tais como tom de voz, expressões faciais e linguagem corporal, é importante para dar respostas apropriadas e vital para colaborar com os negócios.

Estilo de gerenciamento

Para liderar, é crucial conduzir pessoas de maneiras emocionalmente inteligentes e suprir suas necessidades, incorporando soft skills apropriadas ao seu estilo.

Para mostrar compreensão para com os funcionários, é importante levar seus desafios em consideração e dar apoio para eles desempenharem um bom trabalho e seguirem suas ambições dentro da companhia.

Liderança pelo exemplo

Pratique escuta ativa e tente compreender de modo profundo os desafios do ambiente de trabalho e das relações entre os funcionários, da equipe de apoio ao CEO. Esteja disponível para conversas e ajustes para melhorar o cotidiano de suas equipes.

Lembre-se que investir em treinamentos, é um reconhecimento que será revertido em bons resultados em pouco tempo.

Avaliações periódicas

Com programas de treinamento baseado em métricas e KPIs, compare as performances dos empregados após o treinamento e modifique o programa baseado nas análises e no feedback deles. Baseado nessa experiência, faça os ajustes necessários. O ideal é que os profissionais sejam testados a cada seis meses.

Veja ainda quais são as 10 qualidades dos profissionais de RH bem-sucedidos.