Entender a Proposta de Valor ao Colaborador pode fazer toda a diferença no seu negócio

Atrair candidatos talentosos e alinhá-los à cultura organizacional e aos pilares da empresa são alguns dos desafios diários das equipes de Recursos Humanos. Um dos meios para trabalhá-los é o Employee Value Proposition (EVP).

Estratégias bem-definidas para evitar a saída de colaboradores e proporcionar boas experiências durante sua jornada na empresa são essenciais. Elas devem ser pontos de preocupação das companhias, da mesma forma que contratar bons candidatos é.

Para entender mais sobre o EVP, do que se trata, quais são os benefícios de torná-lo parte do dia a dia da organização e como desenvolvê-lo dentro de um plano consistente, continue neste artigo.

O que é Employee Value Proposition?

Traduzido ao português, Employee Value Proposition (EVP) quer dizer Proposta de Valor ao Colaborador. Ou seja, o EVP é o conjunto de benefícios oferecido ao colaborador pela empresa.

Tais benefícios devem ser pensados de modo estratégico, ou seja, devem estar alinhados ao plano de crescimento da empresa, à cultura organizacional, aos valores nos quais a companhia se embasa e aos objetivos que pretende alcançar.

Por envolver diretamente a reputação diante dos colaboradores, o EVP liga-se estreitamente às ações que promovem o employer branding na organização. Por isso, tem grande importância para a empresa e seus resultados são sentidos diretamente pelo negócio.

Com isso, o EVP pode transformar a empresa e atingir de maneira muito positiva os colaboradores que atuam nela.

Importância e impacto no negócio

Employee Value Proposition não se reduz a simplesmente oferecer vale-refeição e vale-transporte aos funcionários. É uma estratégia muito maior e que deve ser estruturada, visto que impacta diferentes frentes da companhia. Entre elas, estão majoritariamente os colaboradores, que podem sentir diferença no engajamento com a marca, nas expectativas e no desenvolvimento dentro da própria empresa – sem precisar ir ao mercado para buscar melhores oportunidades.

Traduzido ao português, Employee Value Proposition (EVP) quer dizer Proposta de Valor ao Colaborador.

Depois de analisar quais ações serão condizentes com sua marca empregadora e de pensar em meios para colocá-las em prática, os resultados chegarão. Eles são capazes de mudar os rumos do negócio, desde a aderência interna até o posicionamento no mercado – uma vez que a performance da empresa diante de funcionários pode ser levada para fora.

Separamos alguns dos impactos que você perceberá quando desenvolver as táticas voltadas para o EVP. Confira!

Atração de bons candidatos

Um dos pontos decisivos para candidatos no momento que se aplicam a uma vaga é a cultura da empresa. Isso envolve o que dizem sobre sua conduta, quais os benefícios oferecidos e qual o clima do ambiente.

Se a empresa investe no bem-estar de funcionários em diversos sentidos, como o físico, o mental e o âmbito profissional, o candidato achará boas avaliações e entenderá que a companhia é um bom lugar para trabalhar.

Além disso, o candidato que se importa com esse quesito tem grandes chances de ter fit cultural com o negócio. Isso é um diferencial de peso no momento de atrair melhores talentos no mercado.

Retenção de talentos

Desenvolver e aplicar ações para atrair talentos e parar por aí não é interessante. Quando são contratados, o trabalho de cuidar do capital humano da empresa deve ser contínuo.

Tornando a questão como uma tarefa do dia a dia, a consequência certa é a satisfação dos funcionários. Com isso, a vontade de permanecer na companhia se consolida e extingue a necessidade de procurar outras oportunidades.

Oferecer condições para que, também fora do ambiente de trabalho, as equipes estejam bem fisicamente, psicologicamente e ainda tenham a oportunidade de aproveitar momentos com família ou amigos faz parte do Employee Value Proposition e do plano de diminuição da taxa de turnover.

Quando o colaborador está feliz e em dia com a saúde, sua performance profissional também é potencializada. Lembre-se sempre: o funcionário é, antes de qualquer coisa, uma pessoa com uma história.

Aumento no engajamento

Isto é fato: quando estamos satisfeitos com um ambiente ou com uma situação, a tendência é que coloquemos mais energia e dedicação para atingir bons resultados.

Então, considere o cenário que a maior parte dos colaboradores de sua empresa estão satisfeitos com seus salários, com os benefícios, com o plano de carreira e com o clima organizacional.

A consequência mais provável dessa realidade é o engajamento de todos para que objetivos sejam alcançados, metas sejam batidas e o negócio prospere.

Formação de divulgadores da marca

Ao nos deparar com alguma situação boa, cheia de benefícios e que nos faz bem, é natural que queiramos compartilhar as boas notícias com pessoas próximas – e essas contam para outras pessoas, e assim uma corrente se forma. O mesmo processo acontece com a marca empregadora.

Quando sua empresa cuida dos funcionários, promove o bem-estar e um ambiente saudável e amigável, os próprios colaboradores começam a divulgá-la e defendê-la, se tornando embaixadores da marca empregadora.

Com isso, sua empresa fica conhecida no mercado pelos pontos positivos e, deste modo, atrai melhores candidatos e clientes.

Pilares do Employee Value Proposition (EVP)

Para que a estratégia de EVP seja bem-estruturada e conduzida de maneira eficiente, deve-se pensar em seus cinco pilares. Abaixo, você conhecerá cada um deles:

Recompensas

As recompensas se voltam às questões salariais e ao pacote de benefícios oferecido aos funcionários, como reconhecimento e impulsionamento pelo bom trabalho desenvolvido.

É importante pontuar que o salário justo é um fator que, apesar de decisivo (por envolver a qualidade de vida e as possibilidades de realizações pessoais do trabalhador, indo muito além do dinheiro), é, ao mesmo tempo, apenas um dos fatores que fará o profissional escolher a sua empresa ao invés de outra para exercer suas atividades.

Isso quer dizer que o salário é somado a uma série de outros fatores, como clima organizacional, fit cultural, perspectivas de crescimento e desafios, no momento de decisão do profissional.

Sendo assim, o fato de a empresa trabalhar com remunerações justas não garante a permanência do profissional. É preciso entender que esse é um dos pilares e não a base completa.

Além disso, vale pensar em benefícios que realmente agreguem valor. Portanto, entenda quais são as dores das pessoas, o que elas almejam e como a empresa pode ajudá-las.

Oportunidades de desenvolvimento

Quando a própria empresa oferece para o colaborador a possibilidade de desenvolvimento profissional, é menos provável que ele procure outras organizações. Procurar um novo emprego demanda energia, deslocamentos e burocracias que podem ser radicalmente diminuídas pelo bem-estar no emprego atual.

Além disso, proporcionar evolução profissional às pessoas da sua empresa significa que você, como empregador, tem um bom time de Recursos Humano e que vê valor nas contratações.

Desenvolver pessoas internamente ainda tem outros benefícios:

  • custa menos dinheiro para a empresa, uma vez que processos admissionais e demissionais diminuem;
  • reduz a taxa de turnover;
  • equipes sofrem menos impactos com saídas de pessoas qualificadas e chegadas de profissionais que precisam se adaptar à rotina.

 

Relacionamento entre pessoas

Outro pilar para a construção do EVP como estratégia eficiente é o bom relacionamento entre pessoas, ou seja, a qualidade do clima organizacional.

É pouco eficiente ter ótimos benefícios, salários adequados e um bom plano de carreira se a atmosfera da empresa é hostil. Por isso, cuidar das pessoas e de suas emoções é fundamental.

Para isso, é essencial olhar muito atentamente para líderes e equipes. Você também pode promover workshops comportamentais e, se for o caso, contar com um profissional da área, como psicólogo, mentor ou coach especializado em desenvolvimentos de carreiras.

Lembre-se de que quanto mais à vontade no ambiente de trabalho, mais produtivas as pessoas serão e menores serão as chances de trocarem de empresa.

Alinhamento do trabalho

O fit entre as atividades desenvolvidas por cada colaborador e suas habilidades e pretensões é de suma importância. Por isso, é essencial que, desde o processo seletivo, atribuições para cargos sejam bem definidas para evitar desvios de função ou mal-entendidos.

É muito relevante ponderar, de tempos em tempos, se as tarefas de cada pessoa estão de acordo com seu papel na empresa ou se é preciso adequá-las.

Um colaborador que está sobrecarregado ou é mal-utilizado, de acordo com sua job description, pode se sentir desmotivado.

Por isso, a adequação de trabalho é um dos pilares da estratégia de EVP. Olhar para esse ponto é cuidar de seus colaboradores, de seu plano de carreira, de seus salários e de sua satisfação perante a empresa.

Organização

Por último, mas não menos importante no Employee Value Proposition, há o pilar da própria organização, ou seja, da empresa como instituição. Ela deve criar sua linguagem, seu posicionamento e sua estratégia de mercado baseada em diretrizes e valores.

É imprescindível que todos os elementos que pautam a companhia estejam acessíveis para colaboradores, candidatos e mercado. A conduta da empresa, sua história e seus princípios já serão um filtro, como uma espécie de triagem, para trazer pessoas para perto e afastar aquelas que não se identificam com o posicionamento adotado.

Pensando especificamente nos colaboradores, é essencial que haja tal fit cultural, isso é, que a ética de empresa converse e combine com a ética do colaborador. Estar em uma companhia com bases muito distintas das próprias crenças não é saudável para nenhum dos lados: ou o funcionário agirá em total desacordo com o que acredita ou em desacordo das crenças do negócio.

Como criar Employee Value Proposition?

Agora que você entende o que é o EVP, qual sua importância e quais seus pilares, chega o momento de dar o próximo passo e colocar a mão na massa.

Confira o passo a passo de como fazer o EVP de sua empresa para começar agora mesmo.

Entenda que o EVP é uma estratégia

Antes de tudo, é preciso que os tomadores de decisão da empresa entendam que o EVP é uma estratégia importante para o bom andamento do negócio e que não se resume a ações dispersas e descontextualizadas.

Encarar o Employee Value Proposition como parte do plano estratégico para reter talentos, chamar os melhores candidatos para entrevistas, atrair potenciais clientes e criar um clima organizacional propício é essencial para que seja possível desenvolver um plano de ação eficiente.

Desenvolva o perfil dos colaboradores

Depois de entender a estratégia por trás do EVP e os benefícios que ele proporciona, é preciso definir para quem a estratégia será feita.

Aqui, mais um conceito do marketing conversa com as práticas de R&S: é preciso definir a persona para quem as ações serão destinadas, ou seja, construir um perfil do colaborador. Ele deve abranger as principais características das pessoas que compõem o quadro de funcionários.

Com esse exercício, será possível entender as dores do colaborador, o que ele precisa, o que é eficiente para ele, quais benefícios são relevantes, o que ele espera de um plano de carreira.

É interessante utilizar dados coletados pela equipe de RH e organizar questionários e formulários que podem ajudar a traçar de modo preciso o perfil de sua persona. Com as informações em mãos, é muito mais fácil entender quais medidas precisam ser tomadas.

Construa sua estratégia olhando os pilares

O próximo passo é criar, efetivamente, ações baseadas nos pilares do EVP que atendam sua audiência – no caso, colaboradores.

Olhe cuidadosamente para cada um dos cinco pilares e pense em ações que podem contribuir tanto para a vida profissional quanto para a vida pessoal que o colaborador leva fora da empresa, com sua família e seus amigos.

É nessa fase que a empresa também deve buscar parceiros que contribuam para o bom desenvolvimento do EVP: planos de saúde, profissionais que deem workshops, academias ou empresas que ofereçam planos de atividades físicas, fornecedores de comida para eventos especiais, universidades que podem oferecer descontos e outros que se encaixem em seu plano.

Além disso, é esse o momento de pensar em plano de carreira e salarial, desenvolvimento de pessoas e acompanhamento próximo dos colaboradores.

Lembre-se de envolver todas as pessoas necessárias e relevantes para a construção da estratégia. Quanto melhor pensada, desenvolvida e implantada ela for, mais impacto positivo as ações terão na vida dos colaboradores.

Dê visibilidade à estratégia

O último passo na criação do EVP é tornar as ações visíveis para colaboradores. Parece uma observação desnecessária, mas fazer com que os funcionários saibam dos valores que são agregados pela empresa é essencial para o sucesso.

É preciso que a importância das ações pensadas sejam percebidas e vividas pelos colaboradores. Somente assim eles poderão entender como é relevante estar em uma organização que, além de adotar valores semelhantes aos deles, pensa em iniciativas que os ajudam.

Estabeleça um canal de comunicação que seja de fácil acesso para todos, como e-mail, e crie uma rotina com o time de endomarketing para divulgar as ações ligadas ao EVP.

Você também pode criar um canal para que os colaboradores tirem suas dúvidas e deem sugestões, mantendo sempre a comunicação aberta.
Entender que o Employee Value Proposition faz parte da estratégia da empresa é o primeiro passo para melhorar a qualidade da experiência do colaborador dentro da companhia. O trabalho de compreender quais são suas dores e como melhorar sua jornada deve ser constante.

Agora que você já sabe como criar seu EVP, entenda como construir a confiança dos funcionários e retenha ainda mais talentos!