O uso da tecnologia é preponderante para garantir a atração e a retenção da geração Z na sua empresa

Sabe aquela sensação de estar no comando, mesmo que esteja ao volante de um carro autônomo? É esse sentimento de independência guiada que a geração Z – composta por nascidos entre meados da década de 1990 a 2010 – quer ter no mercado de trabalho. Há muitas particularidades ao contratar a geração Z, visto que profissionais dessa faixa etária não se encantam facilmente com escritórios descolados, viagens e dinheiro no bolso.

Embora não sejam muito diferentes de seus antecessores, os millennials, atender às necessidades desses profissionais recém-formados requer uma abordagem um pouco diferente. Eles buscam um local de trabalho ético, transparente, que assuma a diversidade no DNA corporativo, e que, acima de tudo, invista em tecnologia e qualidade de vida. Saiba mais:

Prioridades da geração Z no mercado de trabalho

Do uso de tecnologia de ponta ao senso de bem-estar holístico, as prioridades da geração Z foram monitoradas recentemente em pesquisa conduzida pela consultoria Center for Generations Kinetics.

De acordo com o estudo, 58% dos profissionais dessa geração afirmaram se sentir desconfortáveis quando são separados por mais de uma hora do seu “melhor amigo”, o celular. Conhecidos como verdadeiros nativos digitais, são altamente dependentes de tecnologia: consomem grandes quantidades de dados regularmente e têm dificuldade em manter o foco em uma única tarefa por muito tempo. Eles são ansiosos e multifuncionais.

Eles podem fazer duas coisas ao mesmo tempo, como ler mensagens no WhatsApp e ainda prestar atenção ao que está acontecendo na reunião. Por outro lado, se sentem incomodados se há demora na resposta de seus pedidos. Portanto, é fundamental garantir que as empresas, desde a contratação desses profissionais, ofereçam um ambiente de tecnologia amigável e que compreendam a agilidade na tomada de decisão.

Segundo o levantamento, já há tecnologias, em especial a inteligência artificial, que conseguem prever as preferências de uma experiência de usuário e de um empregador agradável para seu perfil.

A pesquisa mostrou ainda que 61% dos entrevistados da geração Z usam seus smartphones por cinco ou mais horas todos os dias. Ou seja, o desktop está sendo, aos poucos, aposentado.

Por isso, é vital que o seu site de atração e de gestão de capital humano seja amigável para mobile. Se um candidato resolver se candidatar à vaga por celular e perceber que seu site não é responsivo, pode acabar ali o encanto pela organização. Outro dado relevante: 60% dos entrevistados indicam que a primeira fase para se candidatar a uma vaga não deve levar mais de 15 minutos. Fique atento!