Veja os benefícios de contratar candidatos bem-humorados

Por que você deve contratar bom humor? Não pense que é para dar boas risadas durante a entrevista ou que estabelecerá uma espécie de comedy show para selecionar os melhores perfis. Na verdade, há ciência por trás do conceito de que contratar perfis bem-humorados traz vantagens aos negócios.

Estudos indicam que a capacidade de fazer outra pessoa rir ou fazê-la sentir-se à vontade demonstra inteligência, autoconsciência e empatia. Os líderes que desejam adicionar novos membros à equipe devem, portanto, prestar atenção e reconhecer os traços positivos por trás das piadas de um candidato.

A ideia é desmistificar o tema, que ainda soa como infantilidade para muitos profissionais, e prover argumentos para contratar bom humor no ambiente de trabalho.

Contratar bom humor transforma ambiente de trabalho

O conceito pode parecer abstrato, mas pare para pensar um pouco além do óbvio. Você não fica mais animado quando alguém tem a habilidade de fazer uma piada sobre uma situação cotidiana ou transforma uma circunstância negativa em uma anedota bem-humorada?

Quando as nuvens escuras parecem pairar sobre o ambiente de trabalho, alguém precisa desviar a atenção para que os colaboradores tenham minutos de ócio criativo e voltem a observar o problema com um viés menos pessimista.

Pense agora na situação contrária. Um ambiente de trabalho no qual o mau humor é dominante. As pessoas olham umas para as outra, esperando a próxima jogada de xadrez para ver quem receberá o xeque-mate e sairá do tabuleiro da empresa.

Esse ambiente desagradável, com pessoas tóxicas, interfere negativamente nas relações interpessoais. O local fica com uma energia pesada e os profissionais com medo de sugerir ideias, pois temem que as reações piorem ainda mais o cenário.

Benefícios

O bom humor no trabalho, por outro lado, estimula a interação entre equipes e incentiva as pessoas a traçarem melhores estratégias. O clima mais leve também ajuda as organizações a questionarem procedimentos e atitudes, impulsionando a inovação. Auxilia ainda a encararem tudo de forma racional e, ao mesmo, com positividade.

Foi essa a atitude de Dick Costolo, em 2009, quando foi contratado como COO do Twitter. Seu primeiro ato, antes mesmo de assumir a cadeira, foi tuitar os seguintes dizeres: “Amanhã será o primeiro dia como COO do Twitter. Tarefa # 1: enfraquecer o CEO e consolidar o poder”.

O humor de “dominação da organização” ganhou respostas positivas dos seguidores e trouxe mais leveza e apoio ao cargo que acabara de assumir. Brincadeiras à parte, Costolo assumiu como CEO do Twitter um ano depois, deixando a empresa em 2015.

Humor e empatia andam de mãos dadas

Uma pesquisa de uma empresa de recrutamento descobriu que 91% dos executivos acreditam que o senso de humor é importante para o avanço na carreira; enquanto 84% acham que pessoas bem-humoradas fazem um trabalho melhor.

A descontração ajuda as pessoas a se conectarem, criarem relacionamentos, aliviarem a tensão e promoverem uma cultura positiva. Embora os profissionais devam estar vigilantes quanto ao fato de o senso de humor não ser uma prioridade, vale a pena explorar seu subproduto para criar um ambiente de trabalho feliz.

Como recrutador, contratar bom humor significa encontrar pessoas que mantenham as coisas em perspectiva e não desmoronem sob pressão.

Como identificar o bom humor no candidato

Como o humor não será listado como uma habilidade no currículo de um possível candidato, investigue as pegadas digitais do profissional. Descubra se ele tem um blog ou está ativo em algum canal de mídia social. Nesse ambiente digital, é provável que você encontre bons indícios dessas e de outras particularidades do candidato.

Por exemplo, veja como ele interage com conteúdos sarcásticos ou piadas de colegas de rede. O candidato só se queixa das situações ou tem um viés mais positivo de algumas notícias? O profissional encontra novas soluções para os problemas ou apenas os acumula?

Tente conduzir a entrevista presencial com certa informalidade e peça para o candidato narrar situações de trabalho que se envolveu. Entre uma pergunta e outra, sutilmente, se ele for bem-humorado, soltará uma brincadeira durante o bate-papo.

Se essa pessoa conseguir encontrar humor, mesmo nas situações difíceis, você desejará tê-la em sua equipe!

Confira ainda algumas dicas sobre linguagem corporal do entrevistador. O uso correto desse tipo de comunicação pode atrair ou repelir os talentos, sejam eles bem ou mal-humorados.