Entenda as vantagens da carreira em W, que concilia os interesses da empresas e dos colaboradores

Quase todos os profissionais de RH já devem ter se deparado com casos de colaboradores que desempenham brilhantemente suas funções técnicas e operacionais, mas não demonstram habilidade alguma em liderança e gestão. Não é à toa que situações como essas deram origem a modelos de plano de carreira disruptivos, como a carreira em W.

O plano de carreira em linha – no qual a única chance de crescer na empresa é conquistando posições de liderança – está cada vez menos comum, sendo substituído por modelos em Y e, mais recentemente, em W. O último, especificamente, oferece três possibilidades de galgar degraus, as quais atendem aos mais diversos perfis profissionais, em especial aos multitarefas.

Quer saber como funciona a carreira em W e se ela é a aposta certa para sua empresa? Então continue conosco.

O que é carreira em W?

A carreira em W está cada vez mais comum. A própria letra – semelhante ao movimento de zigue-zague – exemplifica bem seu funcionamento, o qual permite que o profissional escolha entre três caminhos: liderança, técnico ou uma junção dos dois.

O modelo se originou da junção de duas letras Y ao proporcionar um terceiro caminho, no qual o profissional não precisa deixar de colocar a mão na massa para assumir uma posição de liderança.

Diferença entre carreira em Y e em W

Na carreira em Y, o profissional atua no mercado de trabalho de forma linear até a hora na qual se depara com duas possibilidades: a primeira é atuar na área gerencial (em posições como coordenador, supervisor ou gerente); já a segunda compreende atuar como especialista no desenvolvimento de produtos, processo ou pesquisas. Em resumo, o colaborador deve optar por ser gerente ou especialista, mas não os dois.

Esse tipo de plano de carreira é indicado para perfis que possuem vasta bagagem de conhecimento teórico e prático, além de visão inovadora e disruptiva. Também é comum para quem não sabe lidar bem com motivação e gestão de equipes.

Já na carreira em W é apresentado o papel do líder de projetos, que não é somente especialista e nem  gerente. Ele coordena recursos diversos (que podem incluir pessoas não subordinadas) sem deixar de trabalhar seu lado técnico.

O plano de carreira em W não é melhor ou pior que o em Y, mas apenas uma forma distinta de evolução.

Como funciona a carreira em W?

Na carreira em W, o profissional tem três possibilidades de crescimento profissional:

Gestor: é promovido para funções gerenciais nas quais tem de liderar pessoas e equipes. Deve ter competências como organização, capacidade de delegar, boa comunicação, talento para planejar e responsabilidade, além de conhecimento técnico mínimo da área de atuação.

Líder de projeto: o diferencial da carreira em W para outros modelos é a possibilidade de transitar entre gerente e especialista ao se tornar um líder de projetos. Nesta vertente, o colaborador continua atuando de maneira especializada em demandas do dia a dia, mas desempenha também papel de liderança de equipes temporárias em projetos especiais. Um exemplo seria um analista de marketing que lidera a criação de determinada campanha, delegando e realizando tarefas. Profissionais multifuncionais costumam preferir o cargo, que transita entre liderar e ser liderado.

Especialista: como especialista, o profissional continua colocando a mão na massa, mas de maneira extremamente técnica e avançada. O colaborador que costuma preferir a vertente é estrategista e adora solucionar problemas. Ainda que possa continuar subordinado a um gestor, possui mais autonomia em seu trabalho.

Quais as vantagens para empresa?

Algumas organizações não têm meios ou não sabem como recompensar profissionais produtivos, mas que não têm ou não querem desenvolver habilidades de liderança. O plano de carreira em W sana esta lacuna ao acolher também as pessoas com talentos aquém dos gerenciais, como as que desempenham brilhantemente funções técnicas, operacionais e estratégicas.

O modelo em W favorece o cultivo de lideranças hábeis e que verdadeiramente ajudam equipes a atingirem bons resultados. Em resumo, a ideia é aproveitar o melhor de cada perfil ao propiciar um caminho profissional satisfatório mesmo para quem não deseja gerenciar pessoas.

Este tipo de plano de carreira ainda reduz taxas de turnover e melhora o employer branding, atraindo e retendo talentos diversificados.

Quais as vantagens para o colaborador?

Com a concorrência e a alta demanda por talentos no mercado de trabalho, é comum encontrar profissionais multifacetados, ou seja, que possuem múltiplos conhecimentos e habilidades. A carreira em W vai ao encontro desta tendência ao acolher profissionais que são bons em diferentes áreas e não se deixam levar pela mesmice da rotina.

Com três possibilidades distintas, o modelo de carreira em W ainda compreende os profissionais com talento para liderança e os que preferem aprofundar seus esforços na área técnica, agradando diferentes talentos.

Quando optar pelo plano de carreira em W?

Antes de definir o plano de carreira é preciso avaliar os perfis dos profissionais contratados. Jovens das gerações Y, Z e Milenium costumam ser mais atraídos pela ideia da carreira em W. Outras gerações preferem a estabilidade de seguir um mesmo cargo e não serem impactadas pela inconstância da carreira em W.

Como elaborar e implementar o plano de carreira em W?

Avalie

Conheça a organização: identifique valores, interesses, habilidades, perfis e fatores de satisfação de carreira de seus colaboradores a fim de ajustar o que deve ser feito.

Prepare

Com base no perfil dos profissionais da sua empresa, escolha o plano de carreira mais adequado. Se ele for em W, devem ser feitas mudanças para abandonar o modelo tradicional.

Implemente

Desenvolva e implemente o plano de carreira em W juntamente ao plano de cargos e salários da sua empresa. Defina ainda em qual momento o profissional deverá escolher determinado caminho e quais as políticas para isso.

Comunique

Divulgue a novidade para o capital humano. As pessoas devem ter visibilidade dos benefícios e do funcionamento do modelo de carreira em W, que dará a chance de galgar novas posições e crescer com mais responsabilidade.

Integre tudo à cultura organizacional

Não se esqueça de unir a metodologia à cultura organizacional, seja por conversas com colaboradores ou inclusão das regras nos documentos referentes à política corporativa. Isso é essencial para que a novidade seja usada de forma responsável e em prol dos negócios.

Se você gostou deste artigo sobre carreira em W, leia também nosso guia definitivo sobre benefícios flexíveis.