Em estudo exclusivo, Vagas.com registrou aumento de 56,35% nas divulgações de vagas para diversidade. Entenda a importância do tema e saiba como atrair talentos de grupos minorizados

As empresas estão, cada vez mais, ampliando o volume de publicação de vagas para diversidade. De acordo com dados capturados pela Vagas.com, a quantidade de anúncios de ofertas de emprego para esse público cresceu 56,35% em 2021, saltando de 11.171 em 2020 para 19.825 no ano passado.

A tendência de alta se mantém para 2022: de janeiro a maio deste ano foram 9.234 anúncios de vagas direcionados à diversidade ante 8.275 nos primeiros cinco meses do ano passado, representando alta de 11,6%. O levantamento contempla os seguintes termos nos anúncios publicados: PcD, diversidade, LGBT, exclusiva para mulheres e pessoas negras.

Promover a cultura de diversidade em sua empresa está atrelada, segundo estudos, a maior propensão para ações inovadoras e até mesmo a melhores resultados no faturamento em relação ao mercado. Além disso, estar em um ambiente diverso e inclusivo significa estar em contato com valores que promovem equidade e proporcionam oportunidades mais justas para os profissionais.

Neste artigo, traremos dicas importantes de como fortalecer suas vagas para diversidade, além do olhar de um especialista no assunto. Confira!

O que são vagas para diversidade?

As vagas para diversidade são as ofertas de emprego intencionalmente direcionadas para grupos minorizados na sociedade, como pessoas com deficiência, mulheres, pessoas negras, pessoas acima de determinada faixa etária (geralmente, vemos vagas 40 ou 50+) e pessoas LGBTQIA+.

Historicamente, são grupos de pessoas que têm mais dificuldade na colocação ou recolocação profissional, seja pela disparidade de oportunidades – aqui, entram oportunidades de vários tipos, como estudo formal, cursos de idiomas, acesso a locais ou eventos em que se faça networking e outras oportunidades que podem agregar na entrada no mercado de trabalho –ou por preconceitos enraizados e que se fazem presentes nos processos de recrutamento e seleção.

Para termos uma visão inicial do que acontece com um dos grupos que fazem parte de vagas para diversidade, vamos a um exemplo: em 2021, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou uma pesquisa que aponta que em todos os grupos de faixa etária, dos 25 aos 64 anos, as mulheres superam os homens em acesso ao ensino superior.

Ao mesmo tempo, uma pesquisa do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV-IBRE), que teve como base os dados do IBGE de 2021, mostrou que profissões que pagam salários mais altos e que normalmente exigem ensino formal, como professores universitários, médicos e posições de gerência e diretoria, têm a maior parte dos profissionais homens.

Tendo em vista essa conta que não fecha – como muitas outras que envolvem diferentes grupos de diversidade –, as vagas para diversidade ganham força no mercado de trabalho ao mostrar que ações visando a equidade e a ampliação de ambientes de trabalho mais inclusivos são muito necessárias para mudar o cenário.

Por que abrir vagas para diversidade?

Os dois dados acima trazem à tona a importância de as empresas terem, cada vez mais, a diversidade no ambiente de trabalho como um valor estruturante, bem como a inclusão das diversidades no dia a dia. A boa notícia é que isso vem acontecendo, como os números da pesquisa exclusiva da Vagas.com mostraram.

Junto a isso, de acordo com estudo desenvolvido por uma consultoria organizacional, 85% das empresas aceleraram os esforços e as ações direcionadas para diversidade e inclusão. Dessa forma, é possível vislumbrar um mercado de trabalho cada vez mais guiado por esse contexto.

“A contratação de profissionais mais diversos é uma tendência que seguirá em alta nas empresas, passando dos níveis mais operacionais até o alto escalão. Criar e reforçar equipes mais diversas é sinônimo de decisões e resultados melhores, inovação e ganho de produtividade. Assim com a sociedade se move para a inclusão, as empresas também precisam atualizar os processos seletivos da força de trabalho e as políticas internas para que o ambiente profissional gere senso de pertencimento”, explica Renan Batistela, especialista em Diversidade e Inclusão na Vagas.com.

Lembre-se: além de investir em contratações mais diversas, é necessário preparar o ambiente de trabalho para que ele seja mais incluso, do contrário você terá um ambiente de diversidade sem inclusão. Isso quer dizer que é preciso acolher, da maneira mais apropriada, as pessoas que chegam por meio de vagas para diversidade.

Se a sua empresa investiu na contratação de pessoas com deficiência, é imprescindível que o espaço físico seja acessível para todas as pessoas colaboradoras, bem como as ferramentas de trabalho.

Também é de suma importância ter em mente que os profissionais que fazem parte de algum grupo minorizado devem ter a oportunidade real de trilhar sua carreira e crescer profissionalmente – e não apenas serem números para a companhia mostrar para o mercado. Portanto, é dever da empresa criar ações afirmativas internas que olhem para a capacitação, para o desenvolvimento e para o plano de carreira de todas as pessoas contratadas, criando o ambiente de equidade que tornará isso possível.

Como divulgar vagas para diversidade?

Mesmo com os números otimistas, ainda há empresas que não adotaram políticas ou programas de diversidade ou inclusão ou “engatinham” no assunto, despertando as mais variadas dúvidas entre os recrutadores e time do RH.

Veja abaixo uma lista com 5 dicas para publicar vagas de diversidade e que podem ajudar a fortalecer esse olhar nos processos de Recrutamento e Seleção:

1. Fortaleça uma cultura corporativa inclusiva

Como a pessoa vai se sentir no trabalho? A primeira medida é promover um ambiente de equipe acolhedor, onde todos possam contribuir com ideias e sugestões.

Incentive as opiniões e certifique-se de que todas as vozes sejam ouvidas, além de garantir que os indivíduos recebam crédito por suas ideias e trabalho. Não basta construir um discurso, a diversidade precisa ser parte das práticas no dia a dia. Aposte em treinamentos constantes sobre diversidade com gestores, funcionários e líderes.

A plataforma Colettivo, uma iniciativa Vagas, é o primeiro hub de conhecimento focado na formação de RHs mais juntos e inclusivos. Por lá, você encontra cursos gratuitos sobre temas de diversidade.

2. Promova um processo de recrutamento e seleção inclusivo

A tecnologia é aliada: é preciso ter condições de identificar, entre os milhares de currículos, as pessoas que fazem parte do seu grupo de interesse.

Para isso existem ferramentas que disponibilizam informações de raça, gênero e deficiência no currículo, para serem utilizadas, exclusivamente, para ações inclusivas.

O Vagas For Business, software de recrutamento e seleção, disponibiliza o critério de triagem de currículos baseado na autodeclaração racial e de gênero dos profissionais cadastrados para as empresas que possuem programas afirmativos de Diversidade e Inclusão.

Dessa forma, dentro de cada processo seletivo, o recrutador poderá especificar quais tipos de diversidade espera contratar em uma vaga afirmativa e rapidamente visualizar as pessoas mais adequadas.

3. Atenção com as mídias sociais

Além de qualificar o discurso, a empresa também pode acompanhar e interagir com as publicações nas redes sociais dos colaboradores sobre o tema. Se couber, vale convidar as pessoas a publicarem sobre a inclusão e o incentivo à diversidade na companhia.

Se a cultura organizacional e o senso de pertencimento fazem sentido, as pessoas se sentirão à vontade e entusiasmadas para dividir isso.

Dessa forma, a marca empregadora também acaba se fortalecendo de modo muito genuíno, já que os depoimentos espontâneos são um ótimo jeito de atrair novos talentos que também compartilham de valores semelhantes ao da sua empresa.

4. Use uma linguagem inclusiva de gênero

Ao se referir a pessoas candidatas nos anúncios, tente usar vocabulário neutro em vez de ele/ela. Essa é uma maneira de fazer com que indivíduos qualificados se sintam acolhidos já no primeiro contato.

Consulte plataformas de escrita como Gender Decoder, Textio ou Applied para garantir que você use uma linguagem neutra em seus anúncios de emprego. Na dúvida, pergunte a um especialista.

5. Exija o necessário para a vaga

Concentre-se nas responsabilidades reais da função em vez de publicar uma lista de requisitos desnecessários. Também vale usar os testes de forma mais objetiva, exigindo apenas aqueles relacionados com o trabalho.

Às vezes, ter uma lista longa de condições e muitas avaliações pode dar a impressão de que trabalhar para sua empresa é uma experiência difícil.

A linguagem também é uma chave importante. Evite usar frases como “fortes habilidades de comunicação em inglês” quando a função não exige essa qualificação; ou ainda evite termos muito masculinizados como “agressividade em vendas”. Opte por “bons indicadores em vendas”, por exemplo. Lembre-se: o texto é o primeiro contato das pessoas com a empresa e com a cultura organizacional.

Agora que você já sabe como construir vagas para diversidade, entenda como mensurar o impacto da diversidade em sua empresa.