O modelo de trabalho híbrido permite funcionários trabalhando tanto no escritório quanto remotamente

A pandemia de Covid-19 e o isolamento social têm sido difíceis para todos, mas enquanto as pessoas anseiam que as coisas voltem a ser como antes, o novo normal não inclui necessariamente retornar à forma como a maioria de nós costumava trabalhar. De fato, uma nova modalidade de trabalho flexível vem ganhando espaço: o trabalho híbrido.

De acordo com uma pesquisa divulgada pela Microsoft, mais de 70% dos profissionais desejam continuar trabalhando de casa e 65% desejam desempenhar suas atividades no escritório. Alguns querem um ou outro, mas também há quem almeje o melhor dos dois mundos.

Os contratantes veem a questão de maneira semelhante, já que 66% consideram redesenhar os espaços de escritório para acomodar melhor o trabalho híbrido. Muitas empresas já remanejaram o ambiente de trabalho pela preocupação com as medidas de distanciamento social, mas o que é apenas uma solução temporária provavelmente se transformará em algo duradouro.

O que é modelo de trabalho híbrido?

O modelo de trabalho híbrido permite funcionários trabalhando tanto no escritório quanto remotamente. Na prática, ele pode comportar dois cenários:

No primeiro, que era mais comum durante a pandemia, alguns funcionários são 100% remotos e outros são 100% internos. É particularmente mais fácil de organizar, pois a divisão pode acontecer por departamento, funções de trabalho ou localização do colaborador.

No segundo impera uma política híbrida muito flexível, na qual todos os funcionários ficam remotos parte do tempo e presencial algumas vezes, com a capacidade de decidir quais dias e horários funcionam melhor no escritório. Esse cenário agrada mais aos profissionais, que podem planejar estrategicamente suas atividades – como quem prefere fazer reuniões na empresa por ter muitas distrações em casa.

O que diz a legislação?

O teletrabalho é permitido por lei, mas não há menção propriamente ao trabalho híbrido. Segundo o artigo 75-C da CLT, “o empregador poderá realizar a alteração entre regime presencial e de teletrabalho, desde que haja mútuo acordo entre as partes, registrado em aditivo contratual”.

Portanto, não há um contrato específico para o trabalho flexível.

Vantagens do trabalho híbrido

Mais qualidade de vida

Os ganhos são expressivos para o capital humano: menos tempo de locomoção, possibilidade de ficar mais próximo da família e ainda encontrar-se com seus colegas quando necessário.

Mais inclusão e diversidade

Ambientes de trabalho híbridos também são mais inclusivos para pessoas com múltiplas responsabilidades fora do trabalho (como mães), aquelas com acesso ruim a meios de transporte e quaisquer outras com condições de saúde físicas ou mentais.

Mais segurança na pandemia

Ainda falando em saúde, também é interessante poder ficar em home office até que a pandemia de coronavírus seja controlada, principalmente no caso de pessoas com comorbidades.

Contratação de talentos internacionais

Em um modelo de trabalho híbrido, sua empresa pode contratar profissionais de todo o mundo. Ter acesso a um pool de talentos mais amplo significa que você pode contratar pessoas com habilidades especializadas, o que pode ser uma vantagem competitiva e garantir produtividade 24 horas por dia.

Desvantagens do trabalho híbrido

Até então, o trabalho híbrido oferece uma combinação perfeita de comodidade e produtividade; mas nem tudo são flores.

Relacionamento distante

Pode ser difícil estabelecer conexões com toda a equipe, já que o relacionamento provavelmente será mais próximo entre aqueles que se encontram presencialmente.

Valorização do presencial

Os colaboradores que optam por trabalhar presencialmente mais vezes por semana ganham mais visibilidade e podem até mesmo ser vistos como mais dedicados e responsáveis em certas culturas corporativas.

Gastos indispensáveis

A forma de trabalho híbrido representa menos gastos com locomoção e locação para empresa, assim como um possível aumento de eficiência. Por outro lado, também exige o oferecimento de boas condições domésticas, como bons equipamentos e internet.

Felizmente, nenhuma dessas desvantagens é insolucionável. A cada dia surgem novas estratégias e tecnologias que facilitam a transição para o modelo híbrido, assim como cada organização deve reunir esforços para se adaptar à nova realidade, entendendo o que funciona ou não dentro de seu contexto.

Tendências e desafios

Cultura precisará ser omnicanal

Para empregadores que mantêm uma força de trabalho totalmente remota, é fácil se comunicar usando a tecnologia. Contudo, o quadro é mais desafiador quando o home office passa a ser intercalado com o trabalho no escritório.

Segundo pesquisa da CoSO Cloud, mais de 50% dos trabalhadores remotos afirmam se sentirem desconectados dos colegas in loco, o que só reforça a necessidade de fazer um esforço extra para criar uma cultura corporativa de pertencimento única.

Além de ficar atento às novas tecnologias que devem surgir, as empresas devem semear seus valores e sua missão abrangentemente, assim como nutrir lideranças que saibam equilibrar os pratos entre colaboradores remotos e in loco.

Aumento das tecnologias de recrutamento

As plataformas de recrutamento on-line serão ainda mais necessárias com o regime de trabalho híbrido, já que nem sempre será possível encontrar os candidatos presencialmente. Tais softwares permitem publicar vagas, triar e realizar vídeo entrevistas com mais segurança e eficácia.

Independentemente de as empresas retornarem ao escritório ou não, parece que algumas áreas de recrutamento continuarão a ter um aspecto remoto. É mais rápido, fácil e, para os casos em que uma avaliação de habilidade técnica é necessária, ajuda a mitigar vieses no processo.

Produtividade diferente

Combinar técnicas de aumento de produtividade tanto no escritório quanto em casa será necessário. O problema é que nem sempre as táticas de engajamento que funcionam em espaços corporativos surtirão efeito no digital. Ainda assim, é responsabilidade do empregador fazer com que o ambiente de trabalho funcione, não importa onde ele esteja.

Como adotar o modelo de trabalho híbrido

Implementar o trabalho híbrido na empresa requer pessoas, processos e tecnologia certas. Veja o que considerar:

Converse com sua força de trabalho

Faça uma pesquisa com os funcionários para entender o que eles ganharão ou perderão com o novo modelo. Envolvê-los no processo também aumentará a confiança na companhia. Veja algumas questões a serem consideradas:

  • Quantos dias por semana você gostaria de trabalhar no escritório?
  • Se você tivesse acesso a um escritório mais perto de casa, preferiria usá-lo em vez de ir para a empresa?

Depois de analisar os resultados, entenda se a demanda por trabalho híbrido atende à organização.

Cuide da infraestrutura

A área de Recursos Humanos precisa investir em tecnologias que integrem o ambiente digital ao presencial, como ferramentas de comunicação e videoconferência. No caso de colaboradores em diferentes fusos horários, adote um estilo de comunicação assíncrono.

Não basta apenas prover a infraestrutura, é necessário incentivar seu uso, principalmente pelos líderes.

Organize horários

Se o seu escritório não comporta todos os colaboradores ao mesmo tempo, gerencie a agenda de trabalho. A empresa pode decidir quem trabalhará no local em determinados dias ou semanas ou permitir uma programação personalizada por equipe.

 

Gostou do texto? Então aproveite e saiba o que fazer ao ter um funcionário com Covid.