O trabalho do departamento de recursos humanos (RH) impacta diretamente todos os setores de uma empresa, e aqui você confere tudo sobre a área, das suas definições às atividades exercidas pela equipe

O funcionamento e o sucesso de uma empresa dependem de seus funcionários, que são os seus “recursos humanos”, e é de suma importância ter uma equipe capacitada para gerir todas as questões que envolvem estes colaboradores.

Mesmo que diferente dos modelos de hoje, o conceito de RH já existe há mais de 100 anos, e ele evolui constantemente à medida que surgem novas tecnologias e formas de trabalho. A área de recursos humanos é vasta, possui várias funções e setores que administram desde a contratação de um candidato ao desenvolvimento e produtividade de uma equipe.

Continue a leitura e saiba mais sobre o papel do departamento de recursos humanos em uma organização e porque ele deve ser eficaz.

O que é RH?

A popularização do termo “recursos humanos” é tamanha que seu significado literal passa despercebido por muita gente. De um modo geral, um recurso humano representa um único funcionário de uma organização, que faz parte da força de trabalho da empresa.

Essa pessoa compartilha seu conhecimento, suas habilidades, seu trabalho e o seu tempo em prol do desenvolvimento da organização, e em troca, ele recebe uma remuneração, independente de qual seja o seu formato de contratação. Uma empresa pode ter uma série de recursos, como capital ou tecnologias, mas os seus profissionais são o pilar mais importante para os seus negócios.

O que é Gestão de Recursos Humanos?

Uma empresa pode ter milhares de funcionários, e para gerenciar todos esses “recursos humanos” é importante que ela tenha um departamento dedicado a eles.

Diferente dos demais ativos da organização, seus colaboradores envolvem muitas atividades e a maioria delas são complexas. Em um ciclo básico de um profissional em uma empresa, por exemplo, ele precisa ser encontrado, contratado, deve se manter satisfeito e motivado com o seu trabalho e ainda deve ser retido, pois perder um bom funcionário pode custar alto para as empresas.

A equipe de RH deve ser altamente capacitada, seja para mediar conflitos entre os colaboradores ou para lidar com questões mais burocráticas, como contratos e pagamentos.

História dos Recursos Humanos

Se atualmente os colaboradores são os ativos mais valiosos de uma organização, no passado eles já foram considerados dispensáveis. A evolução dos recursos humanos foi extremamente necessária, principalmente, para a segurança do trabalhador.

Foi somente por volta dos anos 1900, anos após a revolução industrial, que as principais associações ao bem-estar do funcionário com a sua produtividade surgiram. Na época, líderes empresariais, acadêmicos e políticos uniram forças para encontrar meios de estabilizar a força de trabalho, incentivar a lealdade dos trabalhadores e fazer com que eles fossem enxergados e tratados como pessoas, e não como um trabalhador dispensável.

Os primeiros sinais da gestão de recursos humanos como é conhecida atualmente surgiram entre 1920 e 1950, período em que as empresas começaram a mudar a sua relação com os funcionários e passaram a compreender suas questões psicológicas e emocionais. Nessa época foram incorporados treinamentos internos e iniciaram as aproximações com os sindicatos, a fim de oferecer remunerações mais justas.

Já entre as décadas de 60 e 80 as leis trabalhistas estavam em vigor a todo vapor, e o departamento de recursos humanos passou a prestar mais atenção às necessidades dos colaboradores e ao seu progresso dentro da empresa. Foi neste ponto que os funcionários começaram a relacionar os seus interesses e habilidades com o seu trabalho.

Dos anos 1990 em diante, o avanço da tecnologia e o aumento da competitividade no ambiente de negócios faz com que a gestão de recursos humanos evolua com frequência. Seu papel é cada vez mais complexo, se antes a equipe trabalhava focada na gestão do pessoal e em questões administrativas, atualmente ela se dedica muito mais ao engajamento dos seus colaboradores e ao fortalecimento da cultura organizacional.

Qual a função da área de Recursos Humanos?

A principal função do RH é gerenciar os colaboradores e todas as questões que os envolvem da forma mais eficaz, dentre eles estão os pagamentos e benefícios, recrutamento e seleção, a integração desses funcionários à empresa, treinamentos e o desenvolvimento da cultura organizacional.

Quando administrados de maneira correta, esses pontos contribuem para a satisfação dos funcionários e potencializam o seu desempenho, o que colabora para o sucesso da empresa.

Lidar com questões burocráticas também está sob as responsabilidades do departamento de recursos humanos, ele deve garantir o cumprimento das leis e normas trabalhistas, além de implementar políticas para que as regras do ambiente de trabalho sejam aplicadas para todos os colaboradores de uma maneira justa.

O que faz a área de RH?

O departamento de recursos humanos é responsável por uma série de atividades que impactam diretamente todas as áreas de uma empresa. Confira a seguir algumas delas:

Recrutamento e seleção

A formação de um bom quadro de colaboradores se inicia no recrutamento e seleção de candidatos, e cabe ao RH atrair profissionais que, além de habilidosos e competentes em suas ocupações, devem estar alinhados à culta da organização. Toda essa ação envolve ainda o desenvolvimento de estratégias para a atração desses trabalhadores e o planejamento do processo seletivo por inteiro, dos primeiros contatos à admissão.

Plano de cargos e salários

O departamento de RH é responsável pela criação e administração da política de remuneração da empresa, ou seja, ele precisa certificar de que os salários pagos pela organização aos seus colaboradores são justos em relação às suas funções e em comparação aos pacotes oferecidos pelo mercado.

Além disso, essa equipe deve definir e descrever os cargos da organização para que os candidatos e funcionários saibam com clareza quais são ou serão os seus deveres ao ocupar o posto de trabalho.

Desenvolvimento de pessoas

Ao incentivar o desenvolvimento pessoal do colaborador, que nada mais é do que a potencialização de suas habilidades e conhecimentos, as empresas são beneficiadas com uma equipe mais engajada e produtiva, o que impacta diretamente em seus objetivos e resultados. Essa ação é conduzida pela área de recursos humanos, com o apoio dos gestores, através de atividades que trabalham a conscientização do funcionário em relação ao próprio trabalho.

Gerenciamento de performance

Diante de uma equipe produtiva e altamente capacitada, o RH também precisa analisar e gerenciar a performance individual dos colaboradores para assegurar que todos estejam no mesmo nível de produção. A avaliação é realizada de acordo com os objetivos da empresa, mas é importante que ela seja vista como algo positivo pelos funcionários, que os ajudarão a atingir metas pessoais e de negócios.

Treinamento

Ao contratar um funcionário é importante que ele esteja capacitado a realizar as suas atividades, no entanto, muitas vezes são necessários treinamentos para que ele entenda afundo sobre o negócio da empresa, sobre a cultura organizacional, sobre métodos de trabalho, questões técnicas e até sobre algumas regras de convivência. Com isso, o colaborador se sentirá ainda mais integrado à empresa.

Gestão de benefícios

Muitas vezes o pacote de benefícios é decisivo no momento da contratação. A área de RH também gerencia essas questões a fim de proporcionar bem-estar, qualidade de vida e satisfação ao colaborador.

Monitoramento

A tecnologia é aliada dos recursos humanos, e agora, o departamento pode traçar metas e estratégias corporativas através de dados extraídos de softwares de recrutamento e seleção, por exemplo.

Provisão

A provisão de recursos humanos nada mais é do que a responsabilidade do RH em recrutar, selecionar, contratar e integrar os funcionários em uma organização. A área deve prover um recurso humano compatível com a posição em aberto, além de gerenciar a sua produtividade para que a empresa atinja os seus objetivos e metas.

Departamento pessoal

A função mais burocrática de RH é o departamento pessoal. É ele que cuida de todas as documentações, controle de ponto e pagamentos, por exemplo.

Quais são os setores do RH?

Os profissionais de RH são divididos entre vários setores, assim, a equipe como um todo consegue administrar com atenção e dedicação as atividades atribuídas. Veja a seguir alguns deles:

Recrutamento e seleção

Essa divisão do departamento é responsável por todo o ciclo de contratação de um funcionário. Ela que define como e onde as vagas serão anunciadas, que comanda todo o processo de recrutamento e seleção, de contratação e integração de novos colaboradores.

Departamento pessoal

Neste setor trabalham aqueles que devem assegurar que tanto a empresa quanto os colaboradores cumpram as normas e leis trabalhistas, além de gerenciar questões que envolvam os direitos e os deveres de ambas partes.

Treinamento e desenvolvimento

Essa área capacita os funcionários da empresa, seja por um viés educacional ou de desenvolvimento pessoal. Através de ações, ela também analisa os perfis dos colaboradores e faz um balanço do seu quadro de trabalhadores, identificando quais são os seus pontos fortes e quais precisa aprimorar.

Remuneração e benefícios

Os profissionais dessa divisão definem, atualizam e realizam o pagamento dos salários de seus funcionários, bem como os benefícios, como vale-alimentação, vale-transporte, plano de saúde, entre outros. Eles devem estar atentos aos movimentos do mercado, para que sua organização ofereça um pacote compatível ao das outras empresas.

Consultoria de recursos humanos

Essa equipe faz uma análise detalhista de todas as áreas da empresa a fim de compreender a organização como um todo, como está a força da sua cultura organizacional, como os seus funcionários estão se comportando, como otimizar atividades e reter colaboradores, por exemplo.

Segurança do trabalho

A empresa deve garantir que seus funcionários estejam seguros no ambiente de trabalho, e essa parte do departamento de RH trabalha para evitar acidentes, doenças ocupacionais e para assegurar que todos os procedimentos de segurança estão em vigor.

Como se tornar um profissional de Recursos Humanos?

A área de recursos humanos é bem ampla, nela você encontra profissionais com diversas formações, mas principalmente psicólogos e administradores. Além de sua formação principal, eles costumam ter especializações em temas específicos do setor, como a Gestão de RH. As graduações têm conclusão entre quatro e cinco anos, enquanto os cursos tecnólogos, geralmente, têm duração de apenas dois anos.

Qual é o salário de Recursos Humanos?

O salário de um profissional de recursos humanos varia de acordo com a sua experiência, área de atuação e com o segmento de sua empresa, que fica entre R$ 2.600,00 e R$ 6.300,00, desse modo, o salário médio de um Gestor de Recursos Humanos no Brasil é de R$ 4.450,00.

Competências e habilidades

Como em toda profissão, para ser um bom profissional de RH é preciso ter algumas competências e habilidades. Em relação à parte técnica, que diz respeito à educação e experiências, é desejável que esse colaborador tenha uma formação acadêmica com graduação e especializações, além do domínio de línguas estrangeiras e de ferramentas e softwares que otimizam as atividades do departamento.

Já em relação às habilidades pessoais, é importante que esse profissional seja ético, tenha espírito de liderança, facilidade para trabalhar em equipe, uma boa visão corporativa e que domine a comunicação, afinal, ele se relacionará com todas as áreas da empresa.

Principais indicadores de recursos humanos

A lista de indicadores de RH é vasta, mas alguns são cruciais para o sucesso de uma empresa, já que eles guiam o departamento de recursos humanos para que sejam tomadas as decisões mais assertivas para o negócio. São eles:

Produtividade

Uma boa gestão de recursos humanos está altamente associada à produtividade de seus colaboradores. Para medir essa questão, analise alguns elementos como o tempo em que os serviços são executados, com qual qualidade e os custos, por exemplo.

Índice de satisfação

É sempre importante saber se os funcionários estão de acordo com as medidas e ações da empresa, pois colaboradores mais satisfeitos trabalham mais engajados e geram mais resultados. Para isso, o RH pode aplicar uma pesquisa de satisfação através de vários canais da organização.

Taxa de absenteísmo

Os colaboradores estão faltando ou atrasando com maior frequência? Este é um indicador negativo que pode significar desmotivação ou problemas pessoais, que devem ser investigados pelo RH, o que impacta diretamente a produtividade e, consequentemente, as metas da empresa.

Turnover

Também conhecido como índice de rotatividade entre os colaboradores, o turnover geralmente esclarece como está a gestão da empresa como um todo, pois se há um número alto de profissionais deixando a organização, isso significa que há algo de errado em sua administração.

Retenção de talentos

Na contramão do turnover, um alto índice de retenção de talentos representa algo positivo para a organização, já que esse indicador consiste em uma série de estratégias adotadas pelo departamento de recursos humanos para manter seus colaboradores motivados, evitando com que eles deixem seus postos na empresa.

ROI de treinamentos

O retorno sobre o investimento em treinamentos determina se o valor investido na educação dos colaboradores está gerando os resultados esperados. A fórmula para o cálculo de ROI é:

ROI (%) = (receita – custo) ÷ custo x 100

 

Gostou do nosso guia? Aproveite para entender mais sobre a área, lendo tudo sobre Recrutamento e Seleção.