Sem entrevista, sem checagem de antecedentes e sem pré-requisitos: conheça o modelo de contratação aberta

Open hiring é um novo modelo de contratação cuja adoção tem crescido mundo afora. Ele permite que as empresas economizem em custos de recrutamento e acessem um pool talentos mais amplo de para atender às necessidades de contratação. Ao mesmo tempo, cria valor nas organizações e promove igualdade, respeito e diversidade.

O que é?

Open hiring, em sua essência, é a contratação de pessoas independentemente de sua formação. Como o nome indica, o processo é aberto para todos os indivíduos, inclusive para aqueles cujas histórias os teriam excluído de um processo seletivo tradicional – como antecedentes criminais, ausência de formação superior ou falta de experiência de trabalho.

“A maioria das empresas gasta muito tempo e dinheiro excluindo pessoas”, Greyston Bakery.

Alguns empregadores estão adotando a prática como uma forma de abrir portas a pessoas muitas vezes esquecidas e treiná-las para que adquiram as habilidades necessárias para determinada função.

Cases de empresas com contratação aberta

Greyston Bakery é pioneira

O modelo é defendido pela norte-americana Greyston Bakery, que se posiciona abertamente em seu site: “A maioria das empresas gasta muito tempo e dinheiro excluindo pessoas. No momento, existem milhões de pessoas que não conseguem encontrar um emprego devido a antecedentes criminais, educação ou qualificações limitadas, falta de experiência profissional e pouca ou nenhuma qualificação profissional”.

A companhia é precursora de um programa que dedica investimentos e recursos para treinamento e suporte aos colaboradores. “Quando as pessoas dizem que querem trabalhar, damos a elas uma chance – sem perguntas, sem currículos, sem entrevistas, sem verificação de antecedentes”, declara a Greyston Bakery, que produz insumos para grandes marcas como Ben & Jerry’s e Whole Foods Market.

The Body Shop

A varejista multinacional de cosméticos, The Body Shop, realizou um piloto tão bem-sucedido de open hiring que ampliou o modelo para toda a sua rede (3 mil lojas em 65 países).

A iniciativa vai ao encontro da consciência social inerente à cultura da empresa, já que dá oportunidade a pessoas que dificilmente a teriam em processos tradicionais.

Chain Logistics

A Chain Logistics é uma das dezenas de empresas holandesas que adotou o open hiring. Por acreditar firmemente no empreendedorismo social, a companhia usa o modelo para alguns de seus cargos.

Como funciona o open hiring ?

O único requisito da contratação aberta é a ordem na qual as pessoas se inscrevem. Ou seja, a vaga é publicada e o primeiro a se candidatar a garante.

É bom notar, no entanto, que a contratação aberta não significa que nenhuma triagem seja feita. The Body Shop, por exemplo, fez três perguntas aos candidatos: “Você está autorizado a trabalhar nos EUA? Você pode ficar em pé por até oito horas? Você pode levantar mais de 22 quilos?”.

Benefícios do open hiring

Acesso a um grupo maior de candidatos

Quanto menos requisitos você tiver, maior será o pool de candidatos, o que é particularmente útil para cargos de nível inicial e que são difíceis de preencher, exigem pouca ou nenhuma experiência e para os quais as pessoas podem ser facilmente treinadas pela própria organização.

Mais diversidade

Open hiring remove os vieses inconscientes da contratação e dá oportunidades iguais para minorias com menos acesso e oportunidades de educação, o que faz a organização ganhar em diversidade.

Contratações mais rápidas

Nos modelos tradicionais, o tempo de fechamento da vaga costuma ser um grande inimigo dos times de recrutamento, mas não quando se trata de contratação aberta. Uma consequência lógica da ausência de requisitos é que as coisas tendem a ser mais rápidas.

Menos rotatividade

A contratação aberta dá a todos uma chance de trabalhar. Ela esquece o que foi feito no passado e se concentra no que pode ser feito no futuro. Como consequência, o colaborador se torna mais leal ao empregador que lhe deu oportunidade, o que impacta positivamente as taxas de turnover.

A Body Shop, por exemplo, diminuiu em 60% sua rotatividade de colaboradores ao executar o piloto de open hiring.

Impacto na sociedade

Ter um emprego é muito mais que receber dinheiro para pagar contas, principalmente para quem tem poucas qualificações ou sofre com preconceito: é uma chance de mudar a vida.

A contratação aberta visa justamente isso ao dar oportunidade sem olhar a quem, contribuindo com uma sociedade mais igualitária e justa.

Desvantagens do open hiring

Riscos de segurança

Cortar todos os pré-requisitos de uma posição naturalmente pode ser arriscado. Especialmente se os candidatos trabalharem presencialmente e em conjunto com colegas e clientes, visto que verificar antecedentes criminais – embora haja controvérsias – visa reduzir o riscos de problemas.

Viés diferente

Há quem defenda que a contratação aberta tem vieses, pois penaliza pessoas que não têm acesso a um computador ou que estavam ocupadas com outras coisas quando a vaga foi aberta,  como cuidando de filhos, limpando a casa, entre outros.

Inadequado para certas posições

Nem todas as vagas são adequadas para o modelo open hiring. A contratação por ordem de chegada não é a melhor opção para posições que exigem conhecimentos específicos, diplomas e experiência, como especialistas e líderes.

Contudo, há várias funções perfeitas para a contratação aberta, em especial as que podem ser ensinadas.

Afinal, open hiring vale a pena?

Alguns aspectos da contratação aberta são um pouco mais difíceis de serem adotados, mas isso não significa que a prática não tenha mérito ou que não possa ser modificada um pouco, se necessário. Esse modelo abre portas para milhões de pessoas que procuram trabalho e não conseguem.

Organizações que utilizam o conceito promovem a ideia de que muitas pessoas podem prosperar com o suporte certo. Elas oferecem benefícios que são particularmente úteis para pessoas anteriormente marginalizadas, como aconselhamento profissional, creche e ajuda de custo. A implementação desses tipos de benefícios também pode ser útil para tornar o programa bem-sucedido.

 

Gostou do texto sobre open hiring? Então saiba mais sobre diversidade e inclusão no recrutamento.