Bem-estar dos funcionários, suporte digital, benefícios extras: conheça a nova definição do RH

Novos tempos pedem uma nova definição do RH. Se nos últimos anos, as gerações mais jovens já deram aquele empurrãozinho para que as companhias modernizassem o mundo do trabalho, a pandemia de Covid-19 transformou definitivamente esse panorama.

O teletrabalho é uma realidade, bem como a utilização das ferramentas digitais de colaboração e comunicação. Não houve outra escolha para as empresas a não ser surfarem essa onda. E – como não poderia ser diferente – os gestores de Recursos Humanos também entraram no jogo. Ou seja, além das tarefas tradicionais, prioridades surgiram, levando a uma nova definição do RH.

Neste artigo, queremos ajudar você a identificar as mudanças e a preparar sua empresa para essa fase que teve início em 2020 e chegou para ficar.

Negócios = pessoas

O novo normal chegou decretando aos quatro ventos que os negócios devem focar em seus colaboradores. Melhor dizendo: as companhias devem garantir bem-estar a seus funcionários para continuarem sua trajetória de sucesso.

De acordo com estudo realizado pelo Global Wellness Institute, após a chegada da pandemia de coronavírus, 65% das companhias estão investindo mais na saúde mental de seus funcionários.

Bem-estar é uma palavra-chave da nova definição do RH. Com tantas mudanças impostas por pandemia, lockdown, luto e crise econômica, não é de se estranhar que os profissionais estejam mais estressados do que nunca. Em meio a esse cenário, cabe às empresas oferecerem um ambiente de trabalho adequado, além de programas de suporte e promoção à saúde mental.

Ajudar os funcionários a se manterem estáveis emocionalmente colabora para a produtividade e senso de pertencimento. Vale destacar ainda que ações práticas, como opções de almoço mais nutritivas, incentivo à atividade física com descontos em academias de ginástica e apoio para quem quer parar de fumar, colaboram para a saúde e são sempre bem-vindas.

Ambiente holístico, equipes diversas

Os profissionais estão buscando por uma experiencia de trabalho mais holística. E eles dependem das empresas para lhes garantir bem-estar. Sendo assim, uma conduta “people-first” é fundamental para o RH atualmente.

Isso inclui a criação de uma cultura de empoderamento, auxílio para avanço na carreira, oportunidades de crescimento e maior inclusão. Esse conceito pode começar pelo próprio local físico de trabalho, mas também abarca mais atenção e empatia na relação com os funcionários, garantindo tratamento digno a todos os colaboradores, independentemente de gênero, idade, etnia, religião, orientação sexual e origem. Todos devem se sentir bem-vindos e respeitados.

Criar núcleos representativos internos para dialogar sobre as dificuldades que funcionários com perfis identitários sentem ao se posicionarem, principalmente frente à tomada de decisões ou em reuniões, tende a ser algo positivo para a empresa, como indica o artigo “Como fazer as vozes das minorias serem escutadas na empresa”, publicado aqui em nosso blog.

Apoie a experiência digital

Com grande parte das equipes trabalhando de casa, as companhias precisarão investir na experiência digital do funcionário. Os empregados têm que lidar com várias plataformas e aplicativos todos os dias. O RH deve estar atento a como a usabilidade e eficiência das ferramentas digitais impactam a experiência deles. Parte disso é oferecer onboarding digital e ferramentas adequadas a todos.

Também abuse de ferramentas tecnológicas para manter a comunicação constante. Afinal, os colaboradores precisarão estar integrados a essas plataformas para se sentirem seguros e engajados mesmo não estando no escritório.

Inove nos benefícios

De acordo com o artigo “The New Human Resources Definition for 2021 and Beyond”  – “A Nova Definição de Recursos Humanos para 2021 e Além” — há uma mudança cultural no local de trabalho e, portanto, podemos esperar o mesmo com os benefícios.

Claro que haverá sempre a necessidade dos benefícios tradicionais, tais quais convênio médico, folgas e planos de previdência. Mas prepare-se para incluir de horários flexíveis a incentivos para empregados que vão trabalhar de bicicleta (as chamadas credenciais verdes).

E vale abusar da criatividade: aulas grátis de ioga, descontos em sessões de terapia e outros tipos de benefícios diferenciados ajudam os funcionários a entenderem que a empresa investe no bem-estar deles e, assim, eles tendem a trabalhar mais motivados. É um círculo virtuoso…

Quer saber mais sobre as mudanças ocorridas na área? Que tal ler, então, este artigo sobre a transformação digital no RH? Para acompanhar os novos tempos, aproveite também para conferir cursos gratuitos do segmento.