A inclusão como um retrato da sua marca empregadora

A cultura de diversidade, equidade e inclusão (DE&I) é como um selo que precisa ficar estampado em todas as políticas e práticas alcançadas pelos funcionários, executivos, profissionais de RH e, claro, parceiros e grupos que estão associados às empresas. Neste sentido, a inclusão feita de forma encorajada e sustentável contribui para esse retrato: afinal, a marca empregadora comprometida com esse valor mantém como prioridade o respeito aos colaboradores diversos e faz com que eles se sintam bem dentro do ambiente de trabalho.

Por isso, é tão importante dar a mesma importância à diversidade e à inclusão dentro dos negócios. Entenda.

Inclusão: selo de respeito à diversidade

Valorizar uma agenda da equidade de gênero e racial, além de outros grupos como pessoas LGBTQIA+, gordas, com deficiência, entre outros, faz parte das preocupações de lideranças e profissionais de RH há algum tempo. O segundo momento para avançar na obtenção da cultura diversa, no entanto, inclui um aspecto fundamental para a marca empregadora: reconhecer que os esforços para inclusão são tão importantes quanto os mecanismos de diversidade, como contratar candidatos de minorias e desenvolver processos seletivos exclusivos para eles.

Não é de primeira, muito menos com apenas uma estratégia, que a organização chegará à potência plena do que pode oferecer de diversidade e inclusão. Mas, ouvir os funcionários diversos e se empenhar no ciclo da inclusão – atrair grupos diversos, se comprometer em desenvolver esses talentos em um ambiente de respeito e dar suporte à cultura diversa – são importantes diferenciais.

A Dell Technologies tem uma estrutura de iniciativas de impacto para diversidade e inclusão, que pode ser inspiração para outras empresas. A multinacional de tecnologia da informação conta com quatro grupos de apoio a ações com esse viés: Black Networking Alliance (BNA), que gera oportunidades a profissionais independentemente do tom de pele; o Pride, que promove respeito às diferentes orientações sexuais e identidades de gênero; o True Ability, dedicado a incluir pessoas com deficiência, e o Women in Action, focado em trabalhar na equidade de gênero.

Em 2020, a empresa ficou em 17º lugar no ranking de World’s Best Workplaces. Segundo 89% dos funcionários globais, a Dell é um ótimo lugar para se trabalhar e, entre os motivos, destacaram a importância das pessoas, do equilíbrio entre vida pessoal e profissional e de diversidade.

O exemplo da Dell é uma lição: mais do que deixar seu nome conhecido entre consumidores finais ou entre a concorrência, o trajeto para se consolidar como um empregador que tem sólidas estratégias de inclusão retrata um perfil organizacional conectado com os colaboradores e com os paradigmas atuais do mundo corporativo.

 

Gostou do texto? Então saiba mais sobre como promover uma cultura de diversidade e inclusão na empresa.