Realizar a gestão de benefícios é importante para que a marca empregadora tenha vantagem sobre a concorrência ao aproximar-se das necessidades e objetivos dos colaboradores. Com isso, os resultados surgem de forma natural, gerando valor para o negócio.

Quer saber mais? Acompanhe a seguir a importância da gestão de benefícios e aprenda a implementá-la gradualmente em sua organização.

Qual é a importância da gestão de benefícios?

Com o objetivo de aumentar a motivação dos colaboradores e consequentemente o engajamento nas ações da empresa, a gestão de benefícios é uma forma importante para customizar a gestão de pessoas.

O que é gestão de benefícios?

É um processo de definição, implementação e mudança de benefícios visando a motivação e o bem-estar dos colaboradores. Seus objetivos são:

  • definir vantagens e desvantagens do(s) benefício(s) proposto(s);
  • estabelecer e acompanhar métricas;
  • implementar qualquer mudança necessária quanto aos benefícios;
  • medir se o benefício estimula a motivação e, consequentemente, favorece o negócio.

 

Importância da gestão de benefícios

Ao trabalhar de forma personalizada, adaptando os benefícios a cada empresa/perfil de colaborador, você pode se beneficiar das seguintes maneiras:

Obter mais produtividade dos funcionários: profissionais felizes e satisfeitos costumam trabalhar com mais empenho.

Retenção

Profissionais percebem a atenção que a empresa tem com eles e pensam duas vezes antes de deixá-la.

Atração de talentos

Um bom hub de benefícios oferecido pela empresa repercute no mercado e atrai novos talentos.

Menos absenteísmo

Atrasos e outros índices negativos podem ser reduzidos a partir da maior satisfação que o funcionário sente ao estar dentro de uma empresa com cultura e benefícios alinhados ao seu perfil.

Melhora do clima organizacional

Realizar a constante gestão de benefícios faz com que sua empresa nunca fique estagnada. Como consequência, o colaborador perceberá isso e provavelmente se empenhará em manter um clima de trabalho colaborativo e harmonioso.

Menos custos

A gestão de benefícios é uma ferramenta valiosa para Recursos Humanos, já que o fato de reduzir desligamentos voluntários e involuntários impacta positivamente as finanças da companhia.

Tipos de benefícios

O primeiro passo para entender a gestão de benefícios é entender quais os tipos mais ofertados.

Há os benefícios corporativos obrigatórios para quem segue o regime previsto na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), como vale-transporte, 13º salário, FGTS, adicional noturno, 30 dias de férias remuneradas e licença-maternidade.

Há ainda os benefícios não obrigatórios, como convênio médico, horário flexível, home office, auxílio educação, assistência a creche, vale-refeição/alimentação, licença paternidade estendida, planos de previdencia, lanches, PLR, plano odontológico e vale-cultura. Os colaboradores ainda podem contar com pequenos benefícios, como café grátis no escritório, festa de Natal anual ou parceria com restaurantes.

São justamente os benefícios não obrigatórios que ajudam a atrair e reter funcionários e melhorar a reputação do empregador.

Em destaque, estão os programas de bem-estar, que pretendem incentivar um equilíbrio saudável entre a vida profissional e a pessoal, como inscrições subsidiadas ou gratuitas em academias, massagens, coaching, odontologia, serviços de maternidade e podologia.

Há ainda os benefícios flexíveis que dão aos funcionários várias opções em diferentes níveis e até mesmo permitem que eles escolham as que atendem às suas prioridades.

Como montar ou adequar um pacote de benefícios?

Análise e definição

O fluxo da gestão de benefícios começa com profissionais de RH e executivos determinando o que será oferecidos aos funcionários. Isso inclui o tipo e o nível de cobertura.

A administração de benefícios deve levar em consideração empregados em vários níveis, incluindo tempo integral, meio período, temporário, estagiário, trainee e terceirizado. Cada tipo provavelmente oferecerá pacotes diferentes.

É preciso entender quais benefícios fazem sentido ao perfil de colaboradores da empresa. Por exemplo, pode não ser interessante oferece subsídio estacionamento ou combustível em empresas cuja maioria dos colaboradores utiliza transporte público.

Outro exempo são organizações com um capital humano novo e sem filhos, que talvez não seriam tão beneficiados por auxílio financeiro para creche ou escola, mas sim por subsídio a academias.

Verifique a legislação

Os envolvidos no fluxo do processo de administração de benefícios devem garantir que os planos estejam em conformidade com os regulamentos do país vigente, o que pode envolver a participação do departamento jurídico da empresa.

Comunique

Uma das etapas mais importantes na gestão de benefícios é comunicar os funcionários sobre os benefícios disponíveis e como utilizá-los. Eles precisam saber sobre os períodos de inscrição, se há coparticipação e se é possível adicionar dependentes.

No caso de benefícios de previdência e seguro, é necessário informar como acessar as apólices e o que acontece com as contas de aposentadoria após deixarem a organização.

Use a tecnologia

O uso de um software tornará a inscrição mais simples e permitirá que os funcionários acompanhem e leiam sobre seus benefícios. Considere fazer um treinamento anual sobre os pacotes de benefícios da empresa para manter os funcionários atualizados, assim como apresentá-los no onboarding e informá-los sobre quaisquer mudanças.

Por que recrutadores devem entender sobre gestão de benefícios?

Recrutadores que entendem como a gestão de benefícios afeta custos financeiros e retenção conseguem negociar ofertas de emprego que deixem candidatos e empresas felizes. Frequentemente, um bom pacote de benefícios pode influenciar um candidato a aceitar uma proposta de trabalho emprego, sendo muitas vezes mais importante que o próprio salário.

Para isso, recrutadores precisam entender o básico, ou seja, como os pacotes afetam a jornada do colaborador, para que possam defender com eficácia os benefícios que manterão seus novos contratados trabalhando. Os profissionais de recrutamento também devem compreender os benefícios para explicá-los aos profissionais durante o processo seletivo.

Gostou do texto? Então aproveite e saiba tudo sobre benefícios flexíveis.