Encontrar dirigentes bons e eficazes é uma das tarefas mais desafiadoras para as organizações

Independente do tamanho da sua empresa, a liderança é essencial para capacitar e motivar equipes. Infelizmente, identificar um líder habilidosos nem sempre é fácil, principalmente no recrutamento.

Encontrar dirigentes bons e eficazes é uma das tarefas mais desafiadoras para as organizações. A questão é ainda mais importante atualmente, à medida que concorrência e tecnologia transformam drasticamente o modo e a velocidade com que os negócios têm sucesso.

Alguns estudos mostram que as promoções ainda são, em grande parte, dadas a pessoas que tiveram um desempenho excepcional em posições anteriores, mas nem sempre um bom funcionário é um bom líder.

Portanto, independentemente de você estar buscando talentos internamente ou externamente, atente-se aos pontos destacados abaixo.

Como identificar líderes na empresa?

No artigo da Harvard Business Review “Contrate líderes pelo o que eles podem fazer, não o que fizeram”, Josh Bersin e Tomas Chamorro-Premuzic discutem a importância de valorizar o potencial de profissionais e não somente suas realizações passadas. A explicação é que bons funcionários nem sempre são bons líderes – e não há problema algum nisso, já que a pluralidade de perfis é o que faz o ambiente de trabalho funcionar.

Então, na próxima vez que você, recrutador ou gestor, tiver de decidir quem deve ser promovido para um cargo de liderança, responda três perguntas:

O candidato tem habilidades para ser um colaborador de alto desempenho ou para ser um líder eficaz?

O nível de desempenho de colaboradores geralmente é mensurado por resultados, carisma e engajamento na empresa. Já a liderança exige uma gama bem mais ampla de características, como integridade, visão, boa comunicação e capacidade analítica. É justamente essa diferença de habilidades que explica porque muitos funcionários brilhantes se tornam líderes medíocres (e vice-versa).

Algumas profissões requerem habilidades técnicas muito específicas, como as desempenhadas por desenvolvedores e contadores, mas essas mesmas habilidades podem ser usadas para fazer um grupo de pessoas cooperar efetivamente como uma equipe? Provavelmente não.

Claro que líderes sempre devem ter certo nível de competência técnica para estabelecer sua credibilidade perante o time, mas muita experiência em uma única área pode tornar mentalidades pouco abrangentes. Grandes gerentes sempre estão abertos a mudanças e adaptações, por mais experientes que sejam.

Posso realmente confiar no modo como o desempenho individual é mensurado?

A maioria das avaliações de desempenho é subjetiva e geralmente dada pelo gerente direto do profissional, o que pode incluir vieses ​de preconceitos, amizade, etc. Como resultado, as medidas de sucesso de um funcionário podem não ser tão confiáveis ​​quanto se imagina.

É provavelmente por isso que mulheres ainda tendem a ser menos promovidas do que homens, mesmo quando seu desempenho é idêntico. Geralmente, pessoas condecoradas como líderes são aquelas que “criam a impressão certa”, mesmo que suas contribuições sejam mínimas.

Portanto, antes de escolher um líder, faça a pergunta acima. Se a resposta for “não”, pare um pouco para pensar sobre qual tipo de líder você busca. É um que possa gerar bons resultados? Desenvolver as pessoas? Ou pensar no negócio estrategicamente? Há um tipo certo de líder para cada momento, e entender qual é o seu pode fazer toda a diferença.

Estou olhando para frente ou para trás?

O segredo para selecionar grandes líderes é prever o futuro, ao invés de recompensar o passado. Bons líderes conduzem pessoas por meio de complexidade, incerteza e mudança constantes e nem sempre esse perfil é encontrado em quem teve sucesso no passado (ou tem no presente).

Evite escolher somente líderes que se adequam à cultura da empresa, já que isso pode resultar em falta de diversidade de pensamento e modelos de gerenciamento desatualizados. Portanto, dê uma chance a quem pensa diferente.

Também pense em promover pessoas que “podem não estar prontas”, mas que possuem ambição, paixão e disciplina para se desenvolverem. Não é incomum que jovens com pouca experiência se tornem líderes exemplares: Mark Zuckerberg, por exemplo, quase não tinha vivência em negócios antes de criar o Facebook, assim como Steve Jobs nunca tinha dirigido uma grande empresa antes da Apple.

Como identificar um líder no processo seletivo?

Identificar líderes no processo seletivo também deve levar em conta o futuro da companhia, não somente as realizações profissionais passadas do candidato. Contudo, reconhecer novos talentos a fundo pode ser difícil. Para facilitar a tarefa, busque por pessoas com as seguintes características:

Visão de futuro

Situações mudam e as mesmas estratégias não levam ao sucesso sempre. Líderes devem ser capazes de planejar com eficácia, garantindo o crescimento do negócio independentemente de tendências e imprevistos.

Recrutadores podem avaliar essa habilidade fazendo perguntas sobre a perspectiva de futuro do candidato sobre um determinado assunto (tecnologia ou mercado de trabalho, por exemplo).

Bons líderes costumam responder a essas questões com segurança e até mesmo sugerir algumas ideias para levar a empresa (ou a equipe) para uma boa direção.

Boa comunicação

Mais do que ser um bom comunicador, ao tentar identificar um líder você deve buscar por um comunicador eficaz. Falar sobre planos, opiniões e sentimentos com pessoas e grupos faz parte do dia a dia de gerentes, então dominar a arte da linguagem é muito importante.

Habilidades de comunicação ruins são facilmente identificáveis no processo seletivo pela presença de cartas de apresentação mal escritas e respostas confusas em entrevistas.

Poder da influência

Influenciar outras pessoas a seguir instruções e completar certas tarefas é uma das principais responsabilidades dos líderes. Essa habilidade vai além de palavras bonitas, é passar confiança e reivindicar autoridade.

Recrutadores podem encontrar essa habilidade ao analisar se o candidato combina com a cultura do time e da empresa, combinando líderes e subalternos cuidadosamente.

Capacidade de tomar decisões

Não é novidade que gerentes fazem escolhas que afetam mais outras pessoas do que eles próprios. Nem todo mundo é um tomador de decisões nato, mas os líderes devem ser (mesmo que a opção escolhida não gere resultados positivos).

Para identificar um líder com esse traço, recrutadores podem pedir que sejam compartilhadas escolhas difíceis do passado, os métodos usados e seus resultados. Pessoas com cursos sobre liderança também podem se destacar neste aspecto, já que a grade desses programas costuma abordar técnicas de decisão.

Habilidade analítica

Não basta decidir; os líderes precisam ser capazes de entender o impacto de suas decisões no negócio e na vida das pessoas – clientes e colaboradores. Portanto, analisar os resultados de uma escolha é essencial para bons líderes.

Para entender se um candidato a um posto de liderança tem como soft skill a análise de dados, o processo seletivo deve englobar testes curtos de lógica e inteligência. Vale ainda pedir para os profissionais revelarem quais são suas ferramentas de analytics preferidas.

Adaptabilidade

Nem todas as decisões gerarão resultados positivos e é nessa hora que lideranças devem mudar suas táticas para colocar o trem da empresa de volta aos trilhos. Adaptação é um processo doloroso, mas extremamente necessário.

Para identificar um líder com esse traço, a equipe de recrutamento e seleção deve procurar fugir de quem defende o status quo e buscar aqueles tem um desejo nato de mudança.

 

Gostou do artigo? Então confira também 5 dicas de liderança feminina.