Proporcionar uma boa experiência ao candidato durante o processo seletivo pode ser decisivo para a aquisição de talentos. Saiba quais estratégias adotar na sua empresa para uma candidate experience bem-sucedida

Se antes as empresas tinham o poder de recrutamento em suas mãos, agora esse poder foi transferido para os candidatos. Com a alta concorrência e o ritmo acelerado no mercado de trabalho, os profissionais estão cada vez mais exigentes em relação aos seus trabalhos. Questões como a identificação com a cultura e os valores da empresa e o tipo de regime de trabalho influenciam em suas decisões, assim como a candidate experience.

Uma boa experiência durante o processo seletivo pode dizer muito sobre uma organização e fazer com que os olhos do candidato brilhem diante da oportunidade. Para aprimorar esse processo, a equipe de R&S deve estar atenta a todos os pontos de contato com o profissional e adotar algumas estratégias.

Continue a leitura e entenda por que e como a sua empresa deve investir na candidate experience.

O que é candidate experience?

A candidate experience, ou experiência do candidato, é a percepção que o candidato tem do empregador em potencial. Essa imagem geralmente é construída ao longo do processo de recrutamento, desde a procura pela vaga, passando pelas entrevistas em si, até à integração na empresa, caso ele seja aceito, mas essa construção também pode começar muito antes da candidatura ao emprego.

Isso acontece porque o candidato pode ter alguma relação ou interação com a organização antes mesmo do seu interesse de trabalhar lá, seja por meio de amigos e familiares que já integraram o quadro de funcionários da empresa, por já conhecer a sua reputação ou por ser um cliente, por exemplo.

Qual é a sua importância?

Proporcionar uma experiência agradável ao candidato durante o recrutamento se tornou algo essencial para as empresas, afinal, ela pode até mesmo alavancar suas receitas. Um bom exemplo para esclarecer essa situação, é que os candidatos que têm uma boa experiência com a organização são mais propensos a se tornarem clientes dela no futuro ou indicarem seus serviços. Por outro lado, uma experiência ruim pode comprometer os negócios financeiramente e até prejudicar a imagem da organização no mercado, de um modo geral.

Falando sobre a candidate experience em sua forma mais genuína, que acontece durante o recrutamento, ela envolve todos os pontos de contato do processo, como uma ligação feita pelo recrutador, a user experience na página de carreiras do site da empresa, entre outros.

Desse modo, com o recrutamento cada vez mais ágil, a equipe de RH deve aproveitar cada possibilidade, ferramentas e soluções para criar uma experiência agradável e consistente para o candidato.

Principais pontos de contato da candidate experience

A candidate experience avança paralelamente ao funil de recrutamento, e antes de traçar estratégias para aprimorar o processo, é importante que o RH tenha seus principais pontos de contato com o candidato bem definidos e entenda como cada um deles pode influenciar a experiência. Confira alguns deles:

Busca pela oportunidade

As primeiras interações entre o candidato e a empresa acontecem durante a busca pela vaga de emprego, seja através de anúncios, das mídias sociais ou da própria página de carreiras no site da organização. Desse modo, para que a experiência do candidato seja agradável desde o seu ponto de partida, é importante que essa vaga seja encontrada com facilidade, economizando esforço e tempo dos candidatos.

Troca de informações

Durante o processo de candidatura é adequado que o candidato e a equipe de R&S troquem informações de maneira clara. Por um lado, a descrição da vaga deve ser específica e objetiva, a fim de evitar possíveis mal entendidos em relação à posição e. Por outro, os formulários de inscrição devem ser concisos para que as empresas consigam coletar as informações primordiais referentes aos candidatos.

Feedback

Uma boa comunicação é a chave para um processo seletivo bem-sucedido. Os candidatos podem ficar frustrados caso não recebam um feedback ao longo do processo seletivo, como um e-mail que diz se ele avançou ou não na triagem ou para a próxima etapa.

Indo mais à frente, no caso dos candidatos que já foram selecionados, também é importante manter a comunicação com atualizações sobre o processo de contratação, informando quais são as próximas etapas para a admissão, por exemplo.

Entrevista

Durante as entrevistas os recrutadores têm a chance de conhecer melhor os candidatos e definir quem tem mais aderência à vaga. Por outro lado, o candidato também pode ter uma visão melhor de como a empresa realmente é, e uma boa experiência neste momento pode ser fundamental para que esse profissional se decida se ele quer de fato fazer parte da organização.

Conduzir o processo de maneira organizada e com antecedência faz toda a diferença para a equipe de R&S, pois a ajuda na tomada de decisões e evita conflitos com informações dos candidatos.

Integração

A integração, também conhecida como onboarding, é o último ponto de contato na candidate experience. É nessa etapa que o candidato confirma ou não a percepção que ele construiu em relação à empresa ao longo do processo seletivo, seja positiva ou negativa.

Para evitar uma primeira impressão ruim ao mais novo funcionário, simplifique os processos neste início, que geralmente já é bastante agitado, e certifique de que todas as instruções foram passadas a ele de maneira clara e correta.

4 estratégias para melhorar a candidate experience

Agora que você já sabe quais são os principais pontos de contato na experiência do candidato, confira algumas estratégias que sua empresa pode adotar para aprimorar esse processo:

Invista em um ATS

Disponível no VAGAS for business, o sistema de rastreamento de candidatos, ou simplesmente ATS, é um software que agiliza o recrutamento. Ele é composto por várias soluções que impulsionam e integram processos, como a atração de talentos e a avaliação e seleção de candidatos.

Através dele também é possível automatizar vários níveis de comunicação e feedbacks, reduzindo as atividades operacionais. A equipe de recrutamento pode programar mensagens personalizadas que serão enviadas aos candidatos de acordo com filtros pré-estabelecidos, como as etapas em que eles estão no processo seletivo, e tudo isso ainda colabora para manter os candidatos engajados.

Atualize as plataformas de entrevista

Com o mundo cada vez mais digital, as entrevistas de emprego também devem ser otimizadas. Apesar dos encontros presenciais ainda terem o seu valor, atualmente, muitos candidatos prezam pela flexibilidade de poder fazer a entrevista de qualquer lugar, sem ter que se deslocar.
Diante disso, as entrevistas por videochamada são aliadas, e dentre suas vantagens também está a possibilidade de integrar dados coletados à plataforma de recrutamento.

Trabalhe com agilidade

A velocidade com que o perfil do candidato é avaliado, a rapidez no feedback e no envio da proposta contribuem para que o profissional crie uma boa percepção sobre a empresa, pois todas essas ações estão altamente associada à organização.

Analise a candidate experience

Utilize os dados coletados através do ATS ao longo do processo seletivo para oferecer uma melhor experiência ao candidato. A equipe de R&S deve analisar essas informações para compreender em quais aspectos do recrutamento ela pode melhorar e quais já são os seus pontos fortes.

 

Gostou do texto? Então aproveite e confira como melhorar seu anúncio de emprego.