“Não me interessei pela abordagem da empresa”. “A empresa não me parece muito flexível”. “A proposta de trabalho foge dos meus interesses profissionais”. Essas são algumas frases comuns de candidatos que recusaram boas ofertas de emprego.

Na visão do recrutador, que está do outro lado da tela, ou do telefone, essas palavras soam como um alerta de bomba. O profissional passou um mês ou mais trabalhando a vaga e, agora, nos finalmentes do processo, o executivo resolveu dizer não à proposta de emprego.

Para que a bomba não estoure no seu recrutamento, este guia prático que elaboramos inclui recursos para ajudá-lo a superar esse desafio, com dicas sobre como negociar melhor as propostas. Confira!

Preparativos para boas ofertas de emprego

É um erro comum de recrutamento pensar que seus melhores candidatos com certeza aceitarão sua oferta de emprego. Os principais motivos pelos quais os candidatos recusaram essas propostas incluem: aceitar outro emprego, remuneração insuficiente e práticas prolongadas de contratação.

Para se manter competitivo e contratar as melhores pessoas rapidamente, sua estratégia de boas ofertas de emprego precisa ser tão eficiente quanto seu processo de recrutamento.

Portanto, o primeiro ato para a grande final, é preparar a proposta antes mesmo de conhecer o candidato. Como?

O primeiro passo é discutir os detalhes com os gerentes de contratação, tais como:

  • A quem esta função se reporta?
  • Qual é a faixa salarial para esta posição? Use a estrutura de pagamento de sua empresa para obter essas informações.
  • De quem dependerá o pacote de compensação final? Você pode decidir oferecer um salário mais alto a candidatos com mais experiência ou educação.
  • A empresa oferecerá algum bônus/recompensa para a posição?
  • Que tipo de benefícios a organização oferecer?
  • Até quantos dias a empresa pode esperar por uma resposta do candidato após a oferta de emprego?

Dicas para ofertar boas oportunidades

Agora que você já sabe como se preparar antes do desafio começar, é preciso atenção aos detalhes. Cada gesto, cada palavra dita ou colocada de forma equivocada podem contar para a tomada de decisão do candidato.

Não se precipite! Fique atento às dicas de negociações prévias que elaboramos, e comemore o gol de letra:

Coloque o candidato no centro da negociação

Coloque as pessoas em primeiro lugar e os números em segundo. Pergunte aos candidatos sobre o plano de remuneração desejado. Desta forma, você entenderá melhor como apelar para as necessidades dele durante as negociações.

Essa abordagem também prepara o recrutador para criar um pipeline de talentos com candidatos qualificados que podem não ser adequados agora, mas que devem estar interessados em uma função futura.

Considere benefícios não monetários

Descobriu que o talento certo para a posição que está buscando quer ganhar mais do que você pode ofertar. Não fique em pânico! Seja criativo com vantagens e benefícios.

Uma pesquisa do site Glassdoor, conduzida em 2017, mostra que 34% dos candidatos afirmam que os benefícios da empresa são um ponto relevante quando o assunto é aceitar uma oferta de emprego.

Com o modo home office ligado após a pandemia, muitos profissionais buscam agora organizações que lhes ofereçam uma jornada de trabalho flexível. Garantir o trabalho remoto, ou o formato híbrido – alguns dias no escritório e outros em casa – pode posicionar sua organização no coração dos candidatos.

Se você oferecer outros benefícios e regalias não salariais, como stock options, lanches, bebidas grátis, vale academia e outras vantagens, não esqueça de mencioná-las na primeira entrevista. Isso ficará na memória do candidato e pode ajudá-lo a decidir por aceitar ou recusar sua oferta de emprego.

Não demore para entrar em contato

Se você decidiu sobre o candidato que deseja trazer para sua equipe, não perca tempo, entre logo em contato com ele.
Muitas vezes sugere-se a oferta de emprego no mesmo dia da entrevista final ou um ou dois dias depois. Isso permite que o candidato se sinta bem com o processo, aliviando o estresse de não saber se foi ou não selecionado para a vaga.

Além do mais, esse processo também mostra ao candidato como você está animado por tê-lo como parte de sua equipe.

Negociação assertiva

Grande parte dos candidatos, quer receber mais dinheiro ao sair de empresa para outra. Mas, deixar claro na negociação que os benefícios superam o valor monetário do pagamento, também é uma estratégia assertiva do recrutador. Certifique-se de que o candidato também entenda completamente seus benefícios.

Outro detalhe muito importante é observar, durante as entrevistas, que tipo de pacote de benefícios o candidato está buscando. Se a sua empresa trabalha com flexibilidade de benefícios, isso poderá brilhar os olhos do candidato.

Mas, se o empregador anterior do candidato teve benefícios fantásticos e seu pacote de benefícios é inferior, então você precisará compensar com um salário mais alto. Não há maneira mais rápida de ter sua oferta recusada do que se o candidato não sentir que está sendo compensado corretamente em benefícios e salários.

Fisgue o lado emocional do candidato

Fazer uma oferta de emprego é uma das partes mais emocionais do processo de contratação. Você se expõe pedindo a alguém para ingressar na sua organização.

Nesse processo, você desqualificou dezenas de candidatos e encontrou a pessoa certa para ocupar o cargo. Você precisa deixar claro isso para o candidato para que ele se sinta requerido e disputado pela empresa.

Escreva a oferta de emprego sem lacunas

O texto precisa ser curto e objetivo, contendo um e-mail de boas-vindas e saudando o candidato pela conquista e deve ainda incluir os seguintes pontos:

  • Detalhes do cargo (cargo, a quem seu contratado se reportará e seu cronograma de trabalho)
  • Bônus ou comissão, se relevante
  • Benefícios e vantagens para funcionários
  • Políticas de privacidade
  • Condições de rescisão, se relevante
  • Data em que a oferta de emprego expira

Se você achou nosso conteúdo interessante, aproveite para ler outros artigos dele. Que tal conferir um texto que aborda tecnologias para apoiar a comunicação e gestão do seu time?