Mais informações, maior flexibilidade e impulso à diversidade: aproveite as vantagens das entrevistas online

A pandemia de coronavírus chacoalhou o mundo do trabalho em 2020 e as mudanças trazidas com o home office em massa e o uso superintensivo das tecnologias digitais continuam a impactar o ano de 2021. E neste cenário podemos incluir também as entrevistas online.

Se anteriormente elas aconteciam eventualmente, agora tendem a ser um padrão, mesmo com a vacinação em larga escala e o retorno ao normal. Claro que as etapas presenciais continuarão, mas as entrevistas online dominarão o panorama daqui para a frente.

Hoje, com a maior competitividade entre as empresas na busca por talentos e a possibilidade de contratar pessoas de qualquer local do mundo, é necessário tornar os processos seletivos mais e mais convenientes e flexíveis.

Além de poupar tempo e recursos financeiros da companhia e dos candidatos, listamos mais três bons motivos para você investir em entrevistas online.

Por que continuar com entrevistas online após a pandemia?

Estudo realizado pela Gartner, empresa de consultoria norte-americana, apontou que “86% das organizações estavam incorporando uma nova tecnologia para entrevistar candidatos” já no segundo mês da pandemia de Covid-19. Essa correria para integrar novas ferramentas pode ter sido desorientadora para alguns, mas para a grande maioria dos recrutadores foi muito bem-vinda. E os dados têm tudo a ver com isso.

Antes da pandemia, as entrevistas não contribuíam com tantas informações e eram até consideradas uma espécie de ponto cego do recrutamento. A maior parte das informações ficava na mente do entrevistador ou em suas anotações pessoais.

Mesmo se houvesse dados importantes e quantitativos gerados durante a conversa, eles constavam em quadros ou pedaços de papel, que precisavam ser transferidos digitalmente. O resultado: pelo menos, 30 minutos de trabalho extra simplesmente para capturar o que já havia sido produzido naturalmente na conversa efetuada.

Agora, o processo inteiro pode ser digital, o que significa que toda informação gerada é automaticamente capturada e está pronta para uso. Existem ferramentas de transcrição e gravação de vídeo para revisar a entrevista de modo muito mais fácil.

E ainda há possibilidade de incluir geradores automáticos de feedback com inputs de performance após questões específicas. Eles são compilados após o fim da gravação com uma simples edição e não precisam ser escritos a partir do zero.

Isso significa que nas entrevistas, você leva menos tempo escrevendo e mais tempo avaliando cuidadosamente as qualidades do candidato. Ter todas as informações permite a tomada de melhores decisões. Em vez de um ponto cego do recrutamento, entrevistas remotas podem ser mais valiosas do que currículos.

Flexibilidade geográfica

Quando a companhia depende de entrevistas presenciais, o pipeline de talentos fica mais restrito, certo? Isso não é inteligente em um cenário no qual as empresas lutam para admitir talentos. Ou seja, vá além das contratações locais.

Não há como negar que a pandemia abriu espaço para a chegada de profissionais de outras localidades. As tecnologias contribuem para que os profissionais possam trabalhar de onde estiverem e o acesso remoto nunca foi tão fácil.

De acordo com o estudo HackerEarth’s State of Developer Recruiting 2020, as entrevistas remotas são benéficas devido à sua flexibilidade logística para 50,6% dos recrutadores. Entre os participantes da pesquisa, 40,4% afirmaram ter economizado um tempo significativo nesse processo.

Além disso, as sabatinas online contribuem para a contratação de candidatos mais qualificados, independentemente de localização. Mais de 30% dos recrutadores relataram que o processo de R&S remoto melhorou o funil de talentos. O que nos leva a crer que, conforme a força de trabalho global for se tornando mais acostumada com o trabalho remoto, mais as entrevistas online se tornarão o padrão dos processos seletivos.

Mais diversidade

Dado divulgado pela pesquisa HackerEarth’s State of Developer Recruiting 2020 informa que em 57,6% das empresas houve mais ênfase na contratação de equipes diversas. Mas por mais que gostemos de conhecer candidatos cara a cara, as primeiras impressões são influenciadas por vieses pessoais, que mesmo inconscientes e não propositais, podem limitar a pluralidade das equipes.

Afinal de contas, recrutadores tendem a preferir candidatos que reflitam seus padrões e suas características em um comportamento batizado por estudiosos de “Procurando pelo Mérito Espelhado” (“Looking Glass Merit”, em tradução livre). Sendo assim, é muito comum que traços interpessoais e soft skills sejam supervalorizadas nas entrevistas pessoais em detrimento das competências técnicas (hard skills).

Felizmente, as videochamadas acrescentam uma camada de imparcialidade entre recrutador e candidato e podem ser uma forma de combater o problema. Vale lembrar que em algumas etapas do processo seletivo, é possível mascarar informações pessoais, como nome, gênero e local de origem, para que as competências dos candidatos possam falar por si.

Conte com a plataforma do VAGAS for business

Quando o assunto é entrevista online, o VAGAS também pode ajudar você. Sabia que por meio da plataforma VAGAS for business, você pode pedir para os candidatos gravarem um vídeo respondendo perguntas feitas pelo RH? E esse é só um dos vários benefícios que oferecemos. Confira todos eles no site da VAGAS for bussiness.

Se você quer ficar por dentro de mais tendências de R&S, aproveite nossos conteúdos sobre transformação digital no RH e automatização de processos de recrutamento. Boa leitura e até a próxima.